Política

Vereadores querem informações sobre reforma de gabinete e situação da UPA

Requerimentos foram aprovados na sessão desta quinta e terão de ser respondidos pelo Executivo em até 30 dias
05 de julho de 2019 às 10:00
Foto: Fotos Gabriela Bento Alves, Divulgação

Por unanimidade, na sessão ordinária desta quinta-feira (4), foi aprovado um pedido de informações à Prefeitura sobre a situação da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Zona Norte. As questões estão no requerimento assinado pela Comissão de Saúde e Meio Ambiente, presidida por Renato Oliveira/PCdoB, da qual também fazem parte os vereadores Felipe Gremelmaier/MDB, Paula Ioris/PSDB, Rafael Bueno/PDT e Tatiane Frizzo/SD.

Antes dos questionamentos, os autores lembraram que, no início de junho passado, a Secretaria Municipal da Saúde apresentou um plano de contingenciamento, para os atendimentos de urgência/emergência, no período do inverno 2019. O plano prevê atendimento na clínica Clélia Manfro, das 10h às 20h, de segunda a sexta-feira. O usuário deve se dirigir, primeiramente, à UPA da Zona Norte e, após a triagem, é encaminhado, se desejar e conforme o seu quadro clínico, para a clínica. Também foi anunciada a compra de 15 leitos, no Hospital Virvi Ramos, para o período.

A comissão relatou ter constatado que, desde o fechamento do PA 24 Horas, os hospitais locais que atendem pelo SUS têm registrado aumento considerável na procura por atendimento. Contou que, recentemente, o Hospital Geral anunciou a suspensão de cirurgias eletivas por não ter estrutura física e de pessoal para tanta demanda.

De acordo com o presidente da comissão, a UPA da Zona Norte segue com demora de até 11 horas de espera para atendimento médico. "São inúmeros os relatos de mau atendimento médico no local. O plano de contingência, que não cobre os finais de semana, deixa desassistida a população", lamentou.

 

“Não é melhor investir no atendimento à saúde?”

 

A previsão de reformas no Centro Administrativo Municipal rendeu a aprovação de um pedido de informações ao Executivo, na sessão ordinária do Parlamento desta quinta-feira (4). O requerimento referente ao assunto partiu do vereador Renato Oliveira/PCdoB e foi acolhido pela unanimidade do plenário.

O texto relata que, no dia 5 de junho de 2019, foi lançado, no site da prefeitura de Caxias do Sul, o edital de licitação para contratação de empresa para realizar reforma "da recepção do 2º andar do Centro Administrativo". Segundo o documento, o ponto 5.5.1. desse edital informa que o preço máximo aceitável para realização da obra, segundo orçamento, é de R$ 49.349,54. Ainda conforme o autor, no dia 26 de junho, às 9h, na Central de Licitações, seriam recebidas as propostas.

Diante desse processo, Oliveira questiona se o local da reforma apresenta algum tipo de risco aos funcionários e visitantes da prefeitura. Em afirmativo, o vereador pede que seja apresentado o diagnóstico.

Ainda questiona onde serão instalados mobiliários, equipamentos e letreiros que o edital menciona, e se as obras têm finalidade apenas estética. Oliveira solicita o projeto da obra e indaga o Município se haveria a necessidade de gasto de quase R$ 50 mil na reforma, quando as Unidades Básicas de Saúde estariam sem insumos para atender à população. O vereador questiona se existe previsão para outras obras no Centro Administrativo. “Esses recursos não seriam mais bem empregados se fossem destinados ao atendimento à comunidade em hospitais para fortalecer um plano de contingenciamento no período do inverno em nosso município”, questionou.