Política

Vereadores cobram a postura do cargo

16 de agosto de 2019 às 09:00
Foto: Gabriela Bento Alves, Divulgação

As manifestações de outros vereadores sobre problemas na gestão da saúde pública de Caxias repercutiram no pronunciamento do líder de governo, vereador Renato Nunes/PR. Segundo ele, o discurso da oposição revela um suposto complô contra o governo de Daniel Guerra. “Primeiro vieram com os tais pedidos de impeachment. Foram cinco e não deu. Aí é pedido de informação. Não acharam nada de ilegal. Agora, convocação de secretários. Um vereador ataca na educação, outro na Saúde, outro na Cultura”, avaliou.

Renato Nunes também disse que acredita haver um racha interno nos partidos de oposição. Isso porque vereadores de mesma sigla estão se desentendendo em plenário. As declarações geraram uma série de cobranças com relação à postura dele como líder de governo.

O QUE DISSERAM

ALBERTO MENEGUZZI/PSB – “Não tem habilidade para nada, muito menos para ser líder de governo. O senhor desonra esta Casa porque a sua atitude, como líder de governo, vira piada. Fala de desunião, mas ele consegue rachar a própria bancada do governo, e são dois”.

FELIPE GREMELMAIER/MDB – “Eu acreditei que fosse anunciada aqui a data da visita dos vereadores ao Postão. Não são os vereadores que atacam o prefeito, é o prefeito que ataca a cidade. Já que não tem efetividade em nada, a moda agora é brincar com a saúde, brincar com coisa séria”.

KIKO GIRARDI/PSD - “Ele fala todas essas coisas que não têm sentido nenhum, porque nem ele tem resposta para nos trazer dessa administração. É uma pouca de uma vergonha, um líder de governo vir aqui e não responder nada e começar a jogar que estamos preocupados com eleição”.

RAFAEL BUENO/PDT – “Não falou nada que presta, não trouxe nada de solução. Aliás, cria mais conflito. Podia usar o tempo precioso da Câmara para tratar de coisa séria. Qualquer vereador ou político da cidade, depois de Daniel Guerra, está habilitado e credenciado para ser prefeito da cidade”.





Publicidade