Política

Vereador lamenta possibilidade de fim do policiamento comunitário

Alberto Meneguzzi participou de audiência pública nesta segunda-feira
22 de outubro de 2019 às 17:21
Foto: Divulgação

A Câmara Municipal de Caxias do Sul realizou, na noite desta segunda-feira (21), uma audiência pública para tratar sobre a possibilidade do fim do policiamento comunitário em comunidades do município. O encontro foi promovido pela Comissão de Segurança Pública e Proteção Social (CSPPS) do Legislativo caxiense e contou com diversos órgãos de segurança. Participante da reunião, o vereador Alberto Meneguzzi (PSB) lamentou que a medida vem decrescendo nos últimos três anos.

De acordo com o parlamentar, a conclusão de que o programa está em queda livre desde 2017 é fruto dos pronunciamentos do comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar, o tenente-coronel Jorge Emerson Ribas. A situação é agravada pela omissão do Executivo, que foi convidado para a audiência pública, na pessoa do secretário de Segurança Pública e Proteção Social, Ederson de Albuquerque Cunha, que não compareceu ao encontro.

Para Meneguzzi, o fim do programa de policiamento comunitário decorre da má vontade da atual gestão. “Não tem vontade política. Tem um prefeito que só viaja. Um secretário de Segurança que não participa, que não tem vontade nenhuma”, declarou o vereador, ao expor os números do programa de policiamento comunitário com as diárias de viagens de Daniel Guerra (Republicanos): “É R$ 30 mil por mês. O prefeito já gastou quase R$ 200 mil em diárias e passagens este ano. Daria muito bem para financiar”, confrontou.

A audiência pública contou com boa presença de público e representantes do Legislativo, da Brigada Militar, da União das Associações de Bairros e do Conselho Comunitário Pró-Segurança Pública (Consepro).





Publicidade