Política

Vereador condena medida que afeta direitos da classe trabalhadora

Edio Elói Frizzo criticou governo de Eduardo Leite
24 de outubro de 2019 às 13:06
Foto: Gabriela Bento Alves, Câmara Municipal

Na manhã desta quinta-feira (24), o vereador Edio Elói Frizzo (PSB) condenou o ataque do governador Eduardo Leite (PSDB) à classe trabalhadora. A manifestação decorreu do pedido de apoio do soldado Potiguara Galvam à moção do Legislativo, contra a proposta de modificação na carreira dos servidores públicos. Na opinião de Frizzo, os governantes atuais governam “para os seus” e destroem anos de conquistas da população.

Na tribuna, o socialista criticou o fato de sempre cortar os direitos da classe trabalhadora e manter os privilégios de quem está na parte de cima da pirâmide. “Por que não se apaga o topo da pirâmide? Os privilégios? Temos mais de 400 coronéis da Brigada Militar que estão aposentados e ganham mais de R$ 20 mil por mês. Dizem que é direito adquirido, mas como o (ex-governador) Tarso Genro (PT) diria, é um privilégio adquirido”, alertou Frizzo.

Além da questão envolvendo a demanda dos brigadianos, que estiveram no plenário do Legislativo durante a sessão ordinária, Frizzo mostrou repúdio à aprovação da Reforma da Previdência pelo Senado Federal, ocorrida na quarta-feira (23). Ao citar o ex-prefeito de Caxias do Sul e ex-governador, José Ivo Sartori (MDB), Frizzo disse que o antecessor de Leite era suscetível ao diálogo. “Eu nunca tive dúvidas de que o governador Eduardo Leite é um neoliberal. Se precisar cortar na base, ele fará”, sentenciou Frizzo.





Publicidade