Cidades

Usuários temem desmonte do Projeto Conviver

Grupo de participantes fez protesto em frente à Prefeitura, na manhã desta terça
25 de setembro de 2019 às 10:46
Foto: Alex Schneider, Rádio Caxias

Na manhã desta terça-feira (24), beneficiários e apoiadores do Projeto Conviver protestaram em frente à Prefeitura de Caxias do Sul. O objetivo foi denunciar ações da Administração para um possível desmonte do projeto, mantido pela Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Smel), que, desde 1998, oferece ginástica e lazer para pessoas da terceira idade. Sem serem recebidos pelo prefeito Daniel Guerra, outra vez em viagem, os manifestantes seguiram à Câmara de Vereadores, onde tiveram permissão para falar sobre as suas principais demandas, na tribuna do plenário. 

A denúncia é que o Conviver está sendo esvaziado e sem perspectivas de continuidade. Citam não haver diálogo com o Município, que não faz esforço para ouvir as demandas. Também relataram que, nos últimos meses, ocorreram demissões de professores, além da redução de passeios, uma das principais atividades do Conviver. Das galerias, pediram a saída da secretária Marcia Rohr da Cruz.

Os integrantes do programa querem uma reunião com o prefeito, o retorno dos professores aos grupos e dos passeios, e a manutenção dos antigos horários de aula em uma hora e meia. Um abaixo-assinado com quase 2 mil assinaturas foi protocolado na Prefeitura e Smel.

"Estão sendo usados”

Por meio de nota, a Smel sustenta que, em nenhum momento, foi cogitada a possibilidade de extinção do programa. Pelo contrário, estaria sendo ampliado em horários e número de turmas e alunos. Cita, por exemplo, a ampliação de turmas nos grupos dos bairros Pioneiro, Rio Branco e Nossa Senhora de Lourdes, contemplando 100 novos alunos que aguardavam em lista de espera.

A Smel salienta que as mudanças em andamento em todas as suas atividades visam à melhoria, incremento e ampliação de todas as atividades. Admite, no entanto, que reduziu pela metade o grupo de 10 servidores que atendiam ao Conviver. “Estamos fazendo o melhor possível para atender as necessidades das pessoas. Fizemos mudanças para melhor aproveitamento dos recursos do contribuinte”, manifestou a titular.

E aproveitou para dar conotação política à manifestação. “Isto é conversa de pessoas que não querem o bem da cidade e estão usando idosos com intenções politiqueiras. Pedimos às pessoas de bem que não se deixem levar por aproveitadores”, denunciou. O Programa Conviver atende ao público adulto a partir dos 60 anos, de ambos os sexos.





Publicidade