Economia

Simecs anuncia homenageados do 26º Troféu Gigia Bandera

Entrega da distinção está marcada para o dia 29 de novembro
01 de novembro de 2019 às 09:11

A diretoria do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul (Simecs) anunciou, nesta quinta (31/10), os indicados ao Troféu Metalúrgico Gigia Bandera 2019. A homenagem será prestada em 29 de novembro, durante solenidade no Recreio da Juventude, aos empresários Raul Antônio Carniel, Clóvis Tramontina e Francisco Santos.

Raul Antônio Carniel

Foto Javier Herrera, Divulgação

Filho de pai metalúrgico e de mãe que cuidava do lar, Raul Antônio Carniel nasceu em Caxias do Sul, na localidade de São Vitor de Corona, há 68 anos. Teve sua primeira atividade laboral aos oito anos, como empalhador de garrafões. Aos 12 anos, começou na extinta Dalla Santa, localizada na BR-116, onde o pai atuava. Em 1968, formou-se ajustador na Escola Senai Nilo Peçanha.

Ainda trabalhou na Metalúrgica Nossa Senhora de Fátima e, em paralelo, à noite, fabricava máquinas para correntes. Foi, assim, que nasceu, em 1975, com a participação de mais dois sócios, a Fábrica de Máquinas Almeida.

Atualmente, a MCA, que ainda tem como sócio Areovaldo Nogueira de Almeida, fabrica máquinas para correntes – é a única nas Américas -, e modelos especiais para diversos segmentos de mercado. Também fornece malhas para produção de luvas em aço inox e peças de precisão, além de prestar serviços de usinagem.

Clovis Tramontina

Foto Divulgação

Desde 1992, Clovis Tramontina preside uma das maiores indústrias do país que se mantém genuinamente brasileira. A Tramontina, de Carlos Barbosa, desenvolve e produz em solo nacional mais de 18 mil produtos.

O empresário nasceu em 1955, em Carlos Barbosa, onde a empresa teve início, em 1911, como ferraria, pelas mãos do avó Valentin, que a transferiu ao filho Ivo, pai de Clovis. Até chegar à presidência, o homenageado atuou em vários setores da companhia. Formou-se em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul e em Direito pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

A Tramontina emprega atualmente mais de 8 mil funcionários em 10 unidades fabris. O portfólio é amplo: utensílios e equipamentos para cozinha, eletros, ferramentas para agricultura, jardinagem, manutenção industrial e automotiva, veículos utilitários, construção civil, materiais elétricos e móveis em madeira e plástico.

Francisco Santos

Foto Divulgação

O empresário Francisco Santos é o quinto de sete irmãos. Nasceu no dia 8 de janeiro de 1962, no interior de São Francisco de Paula, filho de professor rural e de mãe que cuidava do lar. Viveu até os sete anos no campo. O avô materno Francisco Ballardin era dono de serraria e Francisco, quando criança, tinha fascínio pela forma como as toras de madeira eram processadas. Foi ali que começou a alimentar o sonho empreendedor.

Fez curso técnico de torneiro mecânico no Senai e um ano de especialização em fresas. Graduou-se em Contabilidade e em Administração de Empresas pela Universidade de Caxias do Sul. Sua carteira de trabalho registra o primeiro vínculo empregatício quando tinha 11 anos como arrumador de garrafas de boliche no Clube Guarani. Foi empregado das metalúrgicas Bellini (já extinta) e Abramo Eberle.

Com 21 anos, foi convidado a compor uma sociedade com os amigos Rudimar Borelli e Daniel Mazzocchi. Assim nasceu a Marelli, em 1993, em Caxias do Sul, hoje é uma das maiores empresas de móveis corporativos da América Latina, com duas plantas fabris, em Caxias do Sul e Canoas, e mais de 500 funcionários. Francisco Santos, que é CEO da Marelli, também é acionista e fundador da Metalli Aços Especiais, com sede em Caxias do Sul, que tem a gestão executiva sob a responsabilidade de um dos filhos.





Publicidade