Coronavírus

Serra começa semana sem indústria e comércio funcionando

Prefeituras acompanharam decreto estadual de forma a reduzir a propagação do coronavírus
22 de março de 2020 às 20:54

Em Caxias do Sul, bingo foi fechado e multado por desrespeitar proibição de funcionamento (Secretaria do Urbanismo, Divulgação)

A maioria das cidades da Região da Serra Gaúcha iniciará a semana com restrições ao funcionamento de indústrias, comércio e prestação de serviços. As prefeituras, entre sexta, 20 e sábado, publicaram novos decretos com objetivo de reduzir ainda mais a circulação de pessoas para evitar a propagação do coronavírus.

Em linhas gerais, estão suspensas as atividades na indústria, construção civil, comércio de qualquer natureza, agências bancárias, lotéricas, cartórios, hotéis e motéis. Seguem autorizadas a funcionar as farmácias, lavanderias, distribuidoras de gás e água mineral, padarias, distribuidoras de luz e água, serviço de limpeza urbana e coleta de lixo, clínicas, laboratórios, hospitais e comércio de produtos para área da saúde, higiene e assepsia. Para evitar desabastecimento são também permitidas as atividades nas indústrias alimentícias, de produtos perecíveis, de alimentação animal, de higiene, limpeza e assepsia, e as que atendam aos serviços de saúde. Hotéis, motéis e pousadas estão proibidos de receber novos clientes. Os já hospedados podem permanecer até a data de seus checkouts.

Supermercados, mercearias e açougues poderão funcionar entre 8h e 20h, com equipe reduzida e restrição no atendimento aos clientes. O horário para postos de combustíveis é das 8h às 18h, todos os dias da semana – o governo do Estado voltou atrás na decisão de proibir o funcionamento nos domingos. Os restaurantes e lanchonetes têm autorização para o atendimento delivery e as clínicas veterinárias, em regime de plantão, para venda de rações e medicamentos.

Prefeitura fechada e proteção aos sem teto

Após receber volume suficiente de colchões e itens de vestuário, Defesa Civil pede doações de produtos de higiene para pessoas em situação de risco (Foto Defesa Civil, Divulgação)

No sábado (21), em novo decreto, a Prefeitura de Caxias do Sul determinou o fechamento do Centro Administrativo ao público a partir da segunda-feira, 23. Serão mantidos apenas os serviços imprescindíveis para a garantia e manutenção dos direitos fundamentais da sociedade.

Ao final da manhã de sábado, após percorrer diversas áreas da cidade, a Fiscalização da Secretaria do Urbanismo advertiu mais de 160 locais abertos, como mecânicas, salão de beleza, quadras de esporte, bares e lancherias. Todos fecharam no momento da abordagem. À noite, na área central, um bingo foi fechado pela fiscalização. Foram apreendidas 32 máquinas, 16 frequentadores advertidos e a funcionária encaminhada à Delegaria de Polícia. "O local, além de descumprir o decreto, promove atividade ilícita. Então multamos em R$ 35 mil", informou o secretário do Urbanismo, João Uez. Também foi fechado um posto de gasolina, que funcionava além do horário permitido.

A Secretaria da Segurança Pública e Proteção Social, Defesa Civil e Fundação de Assistência Social (FAS) iniciam nesta segunda-feira (23) a transferência de cerca de 800 moradores de rua para o Pavilhão 2 do Parque da Festa da Uva. No final de semana, equipes do Centro Pop e da Defesa Civil terminaram a montagem do abrigo e fizeram apelo para que a comunidade ajudasse com doações. Foram centenas de doações, tanto que roupas e calçados não são mais necessários neste momento. A Igreja Universal doou mais de 1 mil itens, além de colchões. Ainda há necessidade de rações para cães e produtos de higiene pessoal, como absorvente, escova de dentes, shampoo e álcool em gel. 

Quem pode ajudar, deve ligar para (54) 9 8404.0778. A Defesa Civil faz o agendamento e vai buscar os donativos para que as pessoas não precisem sair de casa, recomendação para evitar a transmissão do coronavírus.

Azul cancela voo

A partir da segunda (23), a companhia aérea Azul suspenderá o voo entre Caxias do Sul e Campinas (SP) pelo Aeroporto Hugo Cantergiani. De acordo com a empresa, outras 55 bases no Brasil paralisarão o funcionamento, pelo menos, até o dia 30 de junho. A cidade ainda segue com uma conexão com o Aeroporto de Congonhas, em dois horários, operados pela Gol. De acordo com a administração, o movimento no aeroporto caiu bastante nos últimos dias. De uma ocupação média de 85%, em voos de 138 lugares, baixou para 36%.

Em Caxias do Sul, o serviço de transporte coletivo urbano funciona com somente 25% da frota, algo como 85 ônibus. O uso é direcionado prioritariamente a profissionais da área da saúde, dos serviços públicos, de segurança pública e de abastecimento alimentar. Seguem funcionando os táxis e veículos por aplicativo com as regras de higiene já divulgadas.

Metalúrgicas fazem acordo para funcionamento de algumas áreas

O Sindicato das Indústrias Metalúrgica, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul e região (Simecs) firmou acordo com a Prefeitura e Secretaria do Trabalho do Ministério da Economia autorizando que algumas atividades sejam executadas nas dependências das empresas. A entidade enfatiza que as empresas devem seguir rigorosamente as orientações das autoridades de saúde quanto às normas de segurança recomendadas em função do Covid-19 para garantir a proteção da saúde dos trabalhadores e da comunidade.

As atividades permitidas são as de recursos humanos para encaminhamento da folhas de pagamento; financeiro para dar sequência às análises de crédito, faturamento e pagamentos; contabilidade para evitar futuras multas às empresa, pois ainda não há medidas que prorroguem prazos para apurações contábeis e fiscais; tecnologia da informação para suportar o funcionamento do regime de home office; expedição e recebimento para cumprir com obrigações acordadas com clientes e fornecedores, pois os contratos preveem multas em caso de não recebimento de mercadoria ou envio das mesmas; e serviços de limpeza para assegurar a higienização dos ambientes, vital para evitar a propagação do vírus é fundamental.