Política

Secretário reafirma que tarifas de ônibus serão menores em Caxias

Cristiano de Abreu Soares foi à Câmara explicar o andamento do novo edital para concessão do transporte coletivo na cidade
05 de dezembro de 2019 às 21:35

Contrato com a Visate termina em maio do próximo ano (Foto Leonardo Portela, Divulgação, Banco de Dados)

O secretário municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade, Cristiano de Abreu Soares, reafirmou sua convicção de que o novo edital para a concessão do transporte coletivo urbano, que prevê a divisão da cidade em duas regiões, diminuirá o valor da tarifa, atualmente em R$ 4,25. Soares esteve na Câmara Municipal de Vereadores, na quinta (5), atendendo à convocação legislativa. O atual contrato com a Visate termina em maio de 2020.

Após a primeira explanação, o secretário recebeu questionamentos. Elói Frizzo/PSB divergiu sobre a alegada redução no valor da tarifa em caso de duas empresas operarem o sistema. Para ele, a mudança de modelo oneraria a cidade. Atentou que, nos últimos 10 anos, o modal registrou redução de 33% na quantidade diária de passageiros.

O vereador Ricardo Daneluz/PDT ponderou que, em três anos da atual Administração, a passagem foi aumentada em R$ 0,85. Comparou que, de 2013 a 2016, a variação havia sido de R$ 0,55. Para o pedetista, as estratégias do governo não têm barateado a tarifa e poderão resultar em precarização na prestação do serviço. O vereador Gustavo Toigo/PDT indagou acerca de adequações nas gratuidades.

O secretário descartou qualquer possibilidade de redução em gratuidades. De acordo com ele, quando se cortam, os antigos beneficiários param de pagar. Ou seja, conforme Soares, a medida não surtiria impacto de barateamento.

Argumentou que, se duas empresas passarem a dividir o itinerário da concessão do transporte público, a chamada câmara de compensação tarifária evitará disparos de custeio. Disse que, pelo novo edital, a média de idade para um ônibus estar em operação será de cinco a sete anos, com garantia de, pelo menos, um milhão de quilômetros rodados. Informou que o transporte intramunicipal deverá contar com a nova linha da 3ª Légua, que se somará às atuais: Criúva, Nossa Senhora Aparecida/São Gotardo, Fazenda Souza/Vila Oliva, Loreto e Santa Lúcia do Piaí.

Precarização dos serviços

O pronunciamento do secretário Cristiano de Abreu Soares pautou o grande expediente do vereador Elói Frizzo/PSB, que preside a Comissão de Desenvolvimento Urbano, Transporte e Habitação da Câmara, autora do requerimento de convocação. Frizzo chamou a atenção para o esforço do secretário em explicar a determinação do prefeito em abrir a operação de linhas de ônibus para mais de uma empresa e a não divulgação da data de lançamento do edital.

Na avaliação do socialista, tendo licitação envolvendo duas bacias, com concessionárias distintas, dificilmente as vencedoras conseguirão manter o serviço com valor da passagem inferior ao existente. O parlamentar fez a comparação com Porto Alegre, que tem o transporte administrado por sete empresas. Entretanto, segundo ele, os ônibus estão em estado precário e a tarifa é de R$ 4,80. "Corremos o risco de quebrarmos uma empresa, a Visate, que é referência em qualidade para o país", exemplificou.