Cidades

Santa Lúcia do Piaí sedia primeira cooperativa escolar do município

Evento que marcou a constituição da Cooperlúcia teve a presença de 250 pessoas
06 de setembro de 2019 às 10:34
Foto: Priscilla Panizzon, Divulgação

A cerimônia de fundação da Cooperativa Escolar de Estudantes da Escola Municipal de Ensino Fundamental Santa Lúcia (Cooperlúcia), no distrito de Santa Lúcia do Piaí, reuniu cerca de 250 pessoas, na noite de quarta-feira (4), no salão paroquial da comunidade. A primeira cooperativa escolar de Caxias do Sul tem como base projeto realizado pela Secretaria Municipal da Educação em parceria com o Programa A União faz a Vida, do Sistema de Crédito Cooperativo (Sicredi). 

A assembleia geral de avaliação da Cooperlúcia foi conduzida pelos próprios estudantes dos anos finais do ensino fundamental. Por meio de cartão de votação, os 20 sócios-fundadores aprovaram o estatuto social e elegeram o Conselho Fiscal e a diretoria. Conforme a secretária interina da Educação, Raquel Baldasso, a cooperativa possibilita aos estudantes um espaço de aprendizado além da sala de aula. "Promove o desenvolvimento de habilidades e competências necessárias para exercer a liderança, a educação financeira, o empreendedorismo, a inclusão social, a cooperação e a cidadania", destaca.

Para a diretora Silvana Cechinato Cagol, o evento é um divisor de águas para a escola. "A cooperativa escolar é um desejo de longa data da comunidade. Na questão da aprendizagem, ela traz o protagonismo dos estudantes. Estamos muito felizes", ressalta. Segundo a professora orientadora do projeto na escola, Tatiana Dresch, a Cooperlúcia é uma preparação para a vida. "Plantamos uma semente e já começamos a colher os frutos. É um orgulho imenso sermos os pioneiros, ao mesmo tempo em que é uma grande responsabilidade", salienta.

O professor Everaldo Marini, referência nacional em cooperativismo escolar, comentou a alegria de participar desse momento. "Estamos em uma época em que, quanto mais compartilhamos, mais crescemos e nos desenvolvemos. Juntos, podemos ir muito longe", definiu.

Segunda organização surgirá no próximo mês

No próximo mês, a Escola Municipal de Ensino Fundamental Sete de Setembro, no Bairro São Luiz da 6ª Légua, também realizará a cerimônia de fundação da cooperativa escolar da instituição, a Coopersete, a qual será formada por 15 integrantes. No evento desta quarta-feira, um grupo de estudantes prestigiou o evento e entregou uma lembrança aos colegas da Cooperlúcia.

Dirigentes destacam os efeitos positivos

Segundo a estudante Rubia Vergani, 12 anos, vice-presidente da cooperativa, todos os integrantes aprenderão a ter mais responsabilidade. "Também fará com que eu tenha mais oportunidades futuramente. Queremos que esse projeto continue por muitos anos", assinalou. Aila Rocha da Silva, 13 anos, diretora de pesquisa, relata que passou a ajudar mais os outros depois que entrou no grupo. "Também estou aprendendo a me empenhar mais nas coisas que faço. Estar aqui hoje é fazer parte da história da cidade", fala. A estudante Larissa Zanardi, 12 anos, que assume a função de tesoureira, conta que decidiu participar para desenvolver maior habilidade em trabalhar em equipe. "Agora, consigo entender mais as pessoas e vou poder praticar a matemática", destaca.

Os objetivos

As cooperativas escolares são associações de estudantes com finalidade educativa, onde os próprios alunos são os responsáveis por fundar, administrar e desenvolver a instituição, organizar as assembleias, elaborar estatutos e atas, além de controlarem o livro-caixa. A iniciativa se constitui em excelente laboratório de aprendizagem dessas propostas.





Publicidade