Política

SITUAÇÃO DE RUA: Legislativo vota convocação da presidente da FAS

Faltou a representante do Executivo na mesa principal
09 de maio de 2019 às 12:36
Foto: Gustavo Tamagno, Divulgação

O plenário da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul vota, nesta quinta-feira (9), o requerimento de autoria da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania, que convoca a presidente da Fundação de Assistência Social (FAS), Rosana Menegotto. A finalidade é esclarecer questionamentos sobre a atual política do Executivo com relação às pessoas em situação de rua.

A convocatória se deve à ausência dela na audiência pública realizada pelo grupo de trabalho, no dia 29 de abril. A ideia foi do integrante da comissão, vereador Rafael Bueno/PDT. Mesmo convidados, vários órgãos da Prefeitura não compareceram ao debate. Entre os ausentes, esteve a presidente da FAS.

Caso o requerimento seja aprovado, a presidente terá 10 dias de prazo para comparecer à Câmara para responder aos vereadores.

Para Bueno, o número de moradores nessa situação tem aumentado. Conforme dados da Comissão de Direitos Humanos, 24 pessoas em situação de rua morreram, em 2018, sendo 14 vítimas de mortes violentas. Reforça ainda que, entre o final de 2016 e o ano passado, o número de moradores de rua passou de 250 para 400. "A negligência é nítida, porque o crescimento dos números aponta para isso, de moradores de rua e de mortes. O prefeito Daniel Guerra fechou o Acolhe Caxias, deixou de repassar verbas para outra casa que acolhia moradores, no Bairro Reolon, e inviabilizou as cozinhas comunitárias que davam uma refeição diária”, salientou.

O presidente da comissão, vereador Rodrigo Beltrão/PT, criticou o fato de Rosana Menegotto não ter comparecido ao encontro. Além disso, ressalta que ela respondeu os convites para o evento por meio da mídia, manifestando-se contra a forma de discussão, que, segundo ela, causaria exposição pública da condição de vida dessas pessoas. “Já que ela se omitiu em ir ao debate na Câmara, não há alternativa a não ser convocar a presidente da FAS para dar explicações em plenário”, justificou.





Publicidade