Variedades

Registros de uma rica época

Mostra de trabalhos de João Baptista Machado Vieira propõe a valorização do olhar frente ao tempo histórico
17 de junho de 2019 às 12:52
Foto: Acervo Pessoal João Baptista Machado Vieira

A relação do artista com o tradicionalismo gaúcho e a atenção que dedicava ao processo colonial, seja ele da região Nordeste do Rio Grande do Sul ou do próprio oeste de Santa Catarina, é o grande destaque da exposição "Memórias pelo olhar de João Baptista Machado Vieira". A mostra está aberta à visitação no Museu Municipal até o dia 27 de julho, com entrada gratuita. Os trabalhos retratam as paisagens coloniais, as cidades, as edificações, as pessoas, os animais e as diferentes vegetações que o artista teve contato nas cidades gaúchas e catarinenses em que viveu.

Nascido no interior do Rio Grande do Sul, João Baptista (1915-1983), desenvolveu sua arte explorando as vivências, ofícios e estudos que realizou. Tanto que edificações, ruínas, paisagens e costumes são detalhadamente representados pelo artista. A sensibilidade, percebida nas obras que compõem a exposição, articulam olhares, técnicas e visões de mundo que gradualmente parecem desaparecer frente o tempo presente.

Essa é a mais ampla exposição dedicada ao artista que legou para as gerações futuras obras repletas de detalhes, com múltiplas dimensões e ricas em simbolismos, sempre se valendo de suas canetas bico de pena e nanquim. "João foi um homem muito espirituoso, brincalhão. Era durante a tarde, após ajudar a esposa Maria nas atividades domésticas, no seu ateliê, nos fundos da casa, que se dedicava à sua arte. Percebia-se que aquele era um momento de calma e concentração. Pode-se dizer que ele saboreava cada momento dedicado às suas obras", destaca João Raimundo Ghilardi Vieira, filho único do artista.

O horário de visitação é de terça a sexta, das 9h às 17h. Aos sábados, a exposição pode ser conferida das 11h às 17h. A visitação aos domingos ocorrerá mediante o rodízio dominical dos museus.