Veículos

Randon desenvolve tração auxiliar elétrica para semirreboques

Equipamento estará à disposição do mercado no início de 2021
17 de outubro de 2019 às 15:55

Por Roberto Hunoff (*)

Alinhada com as tendências mundiais da eletrificação automotiva, as Empresas Randon, de Caxias do Sul, dedicaram dois anos para o desenvolvimento do sistema e-Sys. Apresentado na Fenatran 2019 (Salão Internacional do Transporte Rodoviário de Carga), o Hybrid R é o primeiro semirreboque graneleiro da América Latina com sistema de tração auxiliar elétrica. A feira ocorre de 14 a 18 de outubro, no Expo São Paulo.

O eixo especial foi desenvolvido pela Suspensys, uma das fabricantes de autopeças do grupo, e pelo Centro Tecnológico Randon (CTR) em conjunto com Randon Implementos. O equipamento auxilia o caminhão a transpor aclives, porque recupera e armazena a energia nas descidas para utilizar nas subidas, com economia de combustível de até 25%.

O diretor de autopeças do grupo, Sergio Carvalho, reconhece que haverá um aumento de tara no veículo, especialmente pela agregação de baterias, repercutindo num menor volume de carga transportada. No entanto, afirma que a redução no consumo do combustível, índice de irá variar de acordo com a configuração do equipamento e da aplicação, é muito mais representativa.

O sistema ainda propicia menor desgaste dos componentes e de emissão de resíduos no meio ambiente. “Estamos apresentando uma solução totalmente disruptiva, que inverte a lógica vigente, porque a carreta passa a ajudar o caminhão com ganhos operacionais efetivos ao cliente e à natureza”, observa o presidente do grupo, Daniel Randon. O produto será estendido para todas as 12 famílias de implementos.

A tecnologia de armazenamento e regeneração elétrica foi inspirada na Fórmula-1, que utiliza o Sistema KERS (Kinetic Energy Recovery Systems). Nas Empresas Randon, foi concebida e desenvolvida pela diretoria de Tecnologia e Inovação do Produto da Divisão Autopeças, em conjunto com o CTR e a Suspensys, que será responsável pela industrialização e venda do sistema. A partir de agora, o equipamento será submetido a testes para apurar sua durabilidade.

O diretor da divisão de veículos, Alexandre Gazzi, destacou que 70% a 75% da receita de 2019 do segmento de implementos rodoviários virão de inovações desenvolvidas ao longo dos últimos cinco anos. Acrescentou que, neste mesmo período, todas as 12 famílias foram renovadas.

Como funciona

O sistema e-Sys opera a partir de um conjunto eletromecânico formado por uma unidade de controle eletrônico, bateria, inversor e motor elétrico da WEG (acoplado a um eixo desenvolvido exclusivamente para este fim). Este conjunto, gerenciado por um algoritmo inteligente especialmente criado para avaliar as condições de operação e uso, permite ao implemento aliviar o esforço sobre cavalo-mecânico em certas situações, como nas subidas, o que resulta em economia de combustível. Nas frenagens e desacelerações, o motor passa a trabalhar como gerador, recuperando a energia cinética e armazenando-a em baterias que alimentarão o motor elétrico da própria carreta. “O principal objetivo é promover a otimização energética da combinação de veículo de carga, tendo como potencializadores os fatores Brasil, como a dimensão continental, o relevo irregular e as legislações de cargas e acoplamentos”, destaca Daniel Randon.

(*) Acompanhou a Fenatran a convite dos organizadores





Publicidade