Política

REGIÃO METROPOLITANA: Vereadores cobram protagonismo da cidade

08 de agosto de 2019 às 09:23
Foto: Lucas Marques, Divulgação

O vereador Felipe Gremelmaier/MDB foi à tribuna da Câmara, na sessão desta quarta-feira (7), para solicitar que o Executivo envie um projeto de lei que oficialize a integração do Município à Região Metropolitana da Serra Gaúcha. O bloco compreende 14 municípios da Região Nordeste do Estado. Segundo ele, vários já estão em fase de regulamentação da lei municipal.

De acordo com Gremelmaier, como a maior cidade da região, Caxias tem que tomar a frente das ações de desenvolvimento regional. “Tenho certeza que os financiamentos que são abertos em virtude da existência e do trabalho feito por regiões metropolitanas devem ser acessados por esse conglomerado, o que não vem acontecendo pela nossa região, porque alguns municípios, entre eles Caxias, ainda não enviaram a lei para a Câmara”, afirmou.

Ainda conforme o parlamentar, outras regiões já fizeram planos integrados de desenvolvimento. “Existem regiões metropolitanas no Brasil que trabalham o Plano Diretor Regional. Belo Horizonte utilizou-se da Universidade Federal de Minas Gerais para elaboração do Plano. Temos tudo aqui, em Caxias do Sul, para poder fazer esse trabalho de forma regionalizada”, avaliou.

O QUE DISSERAM...

ELÓI FRIZZO/PSB – “A maior parte dos programas, no Ministério das Cidades, é encaminhada para as regiões metropolitanas. Caxias deveria estar liderando esse processo. As 14 cidades que compõem a Região Metropolitana da Serra Gaúcha não tem a Região das Hortênsias, que eu saiba. Por que será? Porque, na realidade, são situações completamente diferentes”.

EDSON DA ROSA/MDB – “Nós estamos tentando através do Plano Diretor trazer essa conjugação de ideias e nos preocupando com aquilo que nos une. Porque ter divergências, isso faz parte. Essa é uma fala, vereador Felipe, que vem a corroborar com as mudanças que estão acontecendo e saber o seguinte: nós precisamos estar unidos”.

DENISE PESSÔA/PT – “Essa possibilidade das regiões metropolitanas abre várias possibilidades. Não é só apenas a questão de transportes como algumas cidades têm, ou a estrutura viária. Na Região Metropolitana de Porto Alegre, em 2011, foi feito um programa de segurança entre municípios da região. Então é possível ter várias políticas”.





Publicidade