Economia

Projeção de negócios na Fenatran é de R$ 8,5 bilhões

Edição deste ano recebeu mais de 62 mil compradores dos 27 estados brasileiros e de 55 países
29 de outubro de 2019 às 18:42

A 22ª Fenatran (Salão Internacional de Transporte Rodoviário de Cargas) e a 33ª Movimat (Salão Internacional da Logística Integrada) atraíram 62 mil visitantes entre os dias 14 e 18 de outubro, no São Paulo Expo. Neste período, segundo projeções dos organizadores, foram gerados mais de R$ 8,5 bilhões em oportunidades de negócios. Em 150 rodadas de negócios, organizadas pela entidade promotora, foram gerados mais de R$ 82 milhões em vendas. Participaram transportadoras, indústrias de alimentos, distribuidores, importadores e profissionais de logística.

Feira deste ano atraiu 450 fabricantes ligados ao transporte de cargas (Fotos Divulgação)

Entre os participantes estavam executivos de mais de 55 países, e representantes de 27 estados, contabilizando mais de 1.800 municípios. Houve crescimento de 24% em relação ao número de visitantes e duas vezes mais oportunidades geradas em relação a edição de 2017, quando os eventos receberam 350 empresas. Esse ano, mais de 450 marcas participaram e representaram 100% da cadeia do transporte rodoviário de carga.

Esta edição também ficará marcada pela alta tecnologia exposta e pelas discussões sobre sustentabilidade e novas formas de propulsão. Nos estandes, foram encontrados lançamentos de caminhões elétricos, a gás natural e hidrogênio, entre as fontes alternativas, e recursos eletrônicos de condução semi-autônoma, além de novas tecnologias para rastreamento, telemetria e serviços que visam à maior eficiência do transporte. “Muitas tecnologias que já são realidade em outros países foram apresentadas como soluções para o mercado brasileiro. Fóruns debateram e anteciparam a visão sobre o futuro do transporte e da mobilidade”, observou Leandro Lara, diretor do portfólio de mobilidade da Reed Exhibitions Alcantara Machado, empresa organizadora da Fenatran.

Alinhada ao momento atual, a feira aproximou 55 startups de 80 empresas líderes do mercado, resultando em 300 pedidos de reunião. "Todos estão atentos à transformação digital que vem impactando os principais setores do mercado. A Fenatran abriu esse espaço importante para que as startups e grandes empresas possam cocriar inovações para o futuro”, enfatizou Rafael Levy, chief technical officer da 100 Open Startups.

Visitantes tiveram contato com diferentes tecnologias, algumas já disponíveis, outras em fase de implantação

Expectativas superadas

Para o presidente da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), Luiz Carlos Moraes, esta edição foi o marco da retomada do setor. "O clima no evento foi muito positivo. Associadas informaram que precisaram trazer mais vendedores para os estandes e outras bateram a meta para o ano. Esta é uma informação fantástica, pois não existe compra de veículos comerciais se não há uma boa expectativa com a economia do país”, assinalou.

O balanço da participação das empresas ligadas à Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários (ANFIR) foi positivo. “Foi a melhor Fenatran dos últimos tempos para o setor de implementos rodoviários”, avaliou Norberto Fabris, presidente da entidade. As marcas participantes registraram a venda de aproximadamente 15 mil reboques e semirreboques e mais 620 carrocerias sobre chassis.

Fabris lembra que o setor está em recuperação de negócios. “A curva de desempenho tem mostrado resultado positivo e constante desde o início do ano, indicando consolidação da tendência”, afirma.

O presidente do Grupo Volvo América Latina, Wilson Lirmann, estimou terminar a participação com mais de R$ 1 bilhão em negócios. O resultado esperado é aproximadamente o dobro do registrado na edição anterior da feira, realizada em 2017.

Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas e Marketing Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil, conta que a montadora foi para a Fenatran com o objetivo de iniciar uma nova era no transporte brasileiro de cargas. “Em cinco dias, recebemos mais de mil clientes de todas as regiões do Brasil e grupos da América Latina, África e Oriente Médio. Essas visitas geraram bons negócios que superaram as expectativas”, reforçou.

Ricardo Alouche, vice-presidente de Vendas, Marketing e Pós-Vendas da Volkswagen Caminhões e Ônibus, definiu a edição como a melhor dos últimos tempos. O diretor comercial da Scania, Silvio Munhoz, disse que as vendas superaram a expectativa e a capacidade de receber os clientes foi mais do que atingida, muito melhor do que a edição anterior.

Ana Theresa Borsari, country manager da Peugeot e Citroen, afirmou que a participação das marcas foi muito importante para mostrar toda a gama de produtos. Amauri Parizoto, diretor comercial da FPT Industrial para a América do Sul, manifestou surpresa pelo número de visitantes, interessados em novas tecnologias e lançamentos. 

As Empresas Randon fizeram balanço positivo da feira. A meta para outubro, incluindo o período da Fenatran, era fechar negócios equivalentes a três meses de atividade. A avaliação é que o resultado foi muito superior ao alcançado na edição de 2017.

Montadoras oportunizaram que clientes experimentassem os novos caminhões





Publicidade