Comunidade

Produção de veículos recua 10% em março

A produção de veículos montados no país foi de 240.546 unidades em março, queda de 10% na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Em relação
05 de abril de 2019

A produção de veículos montados no país foi de 240.546 unidades em março, queda de 10% na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Em relação a fevereiro, foi de 6,4%. No acumulado de três meses, foram montadas 695.730 unidades, recuo de 0,5%. O resultado foi divulgado nesta quinta (4) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

O presidente da entidade, Antonio Carlos Botelho Megale, apontou três fatores que influenciaram o resultado negativo: greve dos trabalhadores, enchente na fábrica da Mercedes-Benz e redução das exportações. Março também teve um dia útil a menos devido ao Carnaval.

Já o licenciamento de automóveis novos apresentou altas de 0,9% em março na comparação igual mês do ano passado e de 5,3% sobre fevereiro. A média diária, de 11 mil unidades, é a maior desde 2014 para um mês de março. No trimestre, o incremento é de 11,4%, com total de 607.600 unidades.

A exportação segue trazendo números pessimistas para o setor devido à crise econômica da Argentina, principal importadora dos veículos brasileiros. Houve quedas de 42,2% na comparação com março do ano passado e de 3,7% com fevereiro. No acumulado do ano a redução é de 42%, somando 104.562 veículos. “Vamos ter um primeiro semestre absolutamente comprometido. Mas esperamos recuperação na sequência”, indicou Megale.

A Argentina continua predominante nas importações, respondendo por 60% da fatia do mercado. Outros países, entretanto, têm se destacado, como o México, responsável por 13%, e a Colômbia, que saltou de 3% no ano passado para 10% neste.

Agronegócio em alta

A comercialização de máquinas agrícolas e rodoviárias mostrou resultado otimista, com alta de 7% em março na comparação ao mesmo mês em 2018. Em relação a fevereiro, houve aumento de 31,6%. No acumulado, é registrada elevação de 23,5%, com total de 9.294 unidades. As exportações, por sua vez, tiveram recuo de 9% no trimestre, para 2.936 máquinas, influenciando no ritmo de produção, que cedeu 10%, para 10.868 unidades. “A safra está muito boa, será a segunda melhor safra da história. Temos toda a safra de soja comercializada a preço muito bom com a China, o setor está capitalizado, com alto nível de confiança”, explicou Antônio Megale.





Publicidade