Cidades

Prefeitura tem autorização para contrair empréstimo

Em sessão extraordinária nesta quinta-feira (14), a maioria dos vereadores (21x1) aprovou o projeto de lei que autoriza o Executivo a contratar e garantir operações de crédito
15 de março de 2019

Em sessão extraordinária nesta quinta-feira (14), a maioria dos vereadores (21x1) aprovou o projeto de lei que autoriza o Executivo a contratar e garantir operações de crédito interno junto a instituições financeiras. O limite estabelecido é de R$ 50 milhões.

As áreas atingidas serão comunicação e informática, segurança pública, máquinas e equipamentos e infraestrutura administrativa. O valor mais expressivo, na ordem de R$ 22,4 milhões, será aplicado na macrodrenagem na Bacia do Arroio Aliança. Na compra de veículos, máquinas e equipamentos serão mais R$ 12,6 milhões. O restante será dividido entre o projeto de videomonitoramento e cercamento eletrônico (R$ 3 milhões); atualização da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Proteção Social, incluindo software e reforma da Maesa (R$ 5,9 milhões); equipamento, projetos, licenças e aparelhos telefônicos para VOIP (R$ 2,7 milhões); e projeto de geração fotovoltaica (R$ 1,9 milhão).

O único a votar contrariamente foi o vereador Elói Frizzo/PSB. O socialista lembrou que o prefeito Daniel Guerra teria divulgado superávit de R$ 29 milhões. Ou seja, para o parlamentar, o caixa deveria ser mais bem utilizado.

O líder do governo, vereador Elisandro Fiuza/PRB, atentou que administrações anteriores também tomaram linhas de crédito. Rafael Bueno/PDT ponderou que, quando vereador, o prefeito Daniel Guerra costumava se opor a projetos assim. O vereador Gustavo Toigo/PDT defendeu que a Prefeitura fosse mais objetiva quanto às suas prioridades, na tomada de empréstimos.





Publicidade