Cidades

Polícia e Receita Federal apuram possível fraude contra a União

Entidade filantrópica foi alvo de mandado de busca e apreensão
01 de agosto de 2019 às 10:04
Foto: Thiago Terra, Receita Federal/Divulgação

A Polícia e Receita Federal cumpriram durante toda esta quarta-feira (31) mandado de busca e apreensão de documentos em entidade filantrópica de Caxias do Sul. O objetivo da ação é a coleta de provas para averiguar suposto esquema fraudulento contra a União. A investigação apura a ocorrência de fraudes na obtenção da Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social, além da prática do delito de falsidade ideológica. Além da sede da associação, localizada na Rua Sinimbu, os órgãos realizam busca em outros locais.

Foram apreendidos celulares, computadores, aproximadamente R$ 100 mil em dinheiro e documentos. A Receita estima que, em razão do suposto esquema, a associação deixe de recolher aproximadamente R$ 15 milhões em tributos federais por ano. O mandado de busca foi solicitado pelo Ministério Público Federal e expedido pela Justiça Federal em Caxias do Sul.

Instituição se manifesta

Alegando razões de sigilo, a Receita Federal não divulgou o nome da entidade envolvida. No entanto, no início da noite de quarta, o Círculo Operário, entidade envolvida nos mandados, se manifestou por meio de Fernanda Onzi, gerente executiva de marketing.

Por meio de e-mail enviado à redação da Folha de Caxias, que havia entrado em contato para buscar informações, a gestora afirmou, inicialmente, que todas as operadoras de saúde do país são altamente fiscalizadas. “As operadoras sofrem fiscalizações de vários órgãos, constantemente. Para o nosso cenário, é comum e rotineiro ter que prestar contas, apresentar documentos, justificar fatos. Neste caso, se está conduzindo da mesma forma. Entendemos que, neste momento, a Receita Federal está fazendo o trabalho dela”, posicionou.

No e-mail, Fernanda Onzi assinala que o Círculo vem construindo um modelo novo de gestão e que ainda causa muitas dúvidas. “Esse novo modelo, inovador e pioneiro, acarretou movimentos significativos nas operações de atendimento nos últimos tempos, pois se está fazendo e propondo disrrupturas no atual cenário da saúde. Realmente, isso pode estar causando dúvidas, mas é importante salientar e reforçar, acima de tudo, que nada disso interfere nos atendimentos de saúde dos 127 mil beneficiários. Tudo transcorre normalmente”, assegura.

Destaca também que o Círculo é uma empresa de 85 anos de existência. “Sempre estaremos à total disposição para quaisquer esclarecimentos, seja para qual órgão for. O Círculo é uma empresa transparente, mas reforço que quem fala pelo Círculo é somente o Círculo”, concluiu.





Publicidade