Cidades

Pesquisa aponta influências do ambiente de trabalho no comportamento suicida

Estudo inédito em Caxias do Sul indica elevado grau de adoecimento mental dentro das organizações e indica que fatores, como assédio moral e falta de espaço para o desabafo, estão diretamente relacionados
17 de setembro de 2019 às 11:27
Foto: Marcelo Camargo, Agência Brasil, Divulgação

Nas últimas décadas, o tema suicídio ganhou muita importância em razão do enorme contingente de pessoas que colocam fim às suas vidas a cada ano, cujo montante é superior à soma das mortes causadas por homicídios, acidentes de transportes, guerras e conflitos civis em todo o mundo. Esse cenário tem fomentado estudos e adoção de políticas de prevenção de forma que a Organização Mundial da Saúde (OMS) definiu, em 2008, como meta global, a redução de 10% dos casos até 2020. Muitos países membros já desenvolvem estratégias nacionais de prevenção do suicídio e 172 deles apresentam decréscimo nos índices. O Brasil, infelizmente, não se encontra presente nesse grupo.

Desde 2003, por intermédio de ações conjuntas, a International Association of Suicide Prevention (IASP) e a OMS passaram a celebrar o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio em 10 de setembro. Mais recentemente, observou-se o aumento, em âmbito nacional, de uma gama de atividades alusivas ao tema, mobilizadas por entidades do poder público e organizações da sociedade civil, em especial o Centro de Valorização da Vida e a Associação Brasileira de Psiquiatria. Em 2017, a Prefeitura de Caxias do Sul sancionou a lei ordinária 8.201/17, que institui o "Setembro Amarelo" no calendário municipal com o objetivo de incentivar a necessária reflexão sobre a prevenção do suicídio na cidade.

Aproveitando o mês propício para discussões do tema, a Faculdade Murialdo socializa a realização do estudo "Suicídio e trabalho: estudo com jovens trabalhadores de Caxias do Sul", desenvolvido pelo acadêmico do curso de Administração, Geder Evando Gomes Weber, orientado pelo professor e filósofo Ulisses Bisinella e co-orientado pela professora  e psicóloga Gênesis Sobrosa, dentro das ações do Núcleo de Iniciação Científica da instituição. A pesquisa procurou identificar o impacto da atividade e ambiente laboral no fenômeno do suicídio.

40% dos entrevistados já tiveram diagnóstico de transtorno mental

O estudo desenvolvido ao longo de 18 meses recebeu 245 respostas de um questionário aplicado a jovens trabalhadores de Caxias do Sul com faixa etária entre 15 e 29 anos. Os dados evidenciaram que 40% dos entrevistados já foram diagnosticados com transtorno mental em algum momento das suas vidas, sendo os mais frequentes a ansiedade (36,9%), a depressão (30,2%), a bipolaridade (8,2%) e o déficit de atenção com hiperatividade (7,2%). Destes indivíduos, 40% apontam não seguirem tratamento regular, com uso adequado das medicações e acompanhamento profissional regular. Os dados também apontaram grande número de entrevistados com pessoas próximas que já tenham tentado ou cometido suicídio (62%), sendo amigos próximos (47%), familiares (37%) e colegas de trabalho (16%).

Quando questionados sobre comportamento de risco, 60% afirmaram que já desejaram seriamente morrer em algum momento das suas vidas; 49% já pensaram em terminar voluntariamente com a própria vida; e 15% confessaram já ter tentado tirar a própria vida. Entretanto, somente 11% dos participantes se afastaram do serviço, por atestado médico, em razão de algum evento psiquiátrico, e apenas 1% afastou-se do trabalho por laudo previdenciário, tendo recebido auxílio-doença.

Encontros socializarão os dados

Aproveitando o movimento "Setembro Amarelo", a Faculdade Murialdo promoverá palestra sobre o tema visando à socialização dos resultados do estudo. O evento, gratuito e aberto à comunidade, será realizado no dia 23, às 19h30, na Faculdade Murialdo. O acadêmico Geder Evando Weber realizará a explanação dos resultados da pesquisa e, após, o tema será debatido pela docente Gênesis Sobrosa; pela vereadora, psicóloga e integrante do Comitê de Prevenção do Suicídio, Paula Ioris; e pela advogada e voluntária do Centro de Valorização da Vida, Joceli Roncarelli. As inscrições podem ser feitas no http://bit.ly/famursetamarelo2

A pesquisa também será apresentada, com mesa-redonda para discussões, no Sindicomerciários de Caxias do Sul. O evento, aberto à comunidade, ocorrerá no dia 25 de setembro, às 19h30min, no auditório da entidade.

Entidades públicas promovem jornada

A II Jornada de Promoção da Vida e Prevenção do Suicídio ocorrerá nesta quarta (18), em Caxias do Sul. O evento é uma promoção da Secretaria da Saúde, por intermédio do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) e da 5ª Coordenadoria Estadual de Saúde (5ª CRS), junto com a Seção de Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde. A atividade ocorrerá no Teatro da Universidade de Caxias do Sul.

A programação se inicia às 8h, com inscrições, seguida da apresentação do Grupo de Trabalho Promoção da Vida e Prevenção do Suicídio. O primeiro tema abordado será "Prevenção do suicídio na infância e na adolescência, uma responsabilidade de todos nós", a cargo da psiquiatra Sara Sgabin, da Secretaria de Saúde de Campinas (SP).

À tarde, a partir das 13h30, será apresentada a "Dimensão epidemiológica – realidade no Rio Grande do Sul e Caxias do Sul", pela coordenadora do Núcleo de Doenças e Agravos Não Transmissíveis (Cevs), Andreia Volkmer, e pela enfermeira da Secretaria da Saúde de Caxias do Sul, Mônica Renosto. Às 14h15, estará em pauta "A importância do acolhimento em situações de ideação e tentativa de suicídio", com a psicóloga Priscila Lawrenz. Às 15h30, o tema será "A produção do conhecimento sobre suicídio", com a psicóloga e doutora em Ciências Sociais, Cláudia Cruz.

Epidemia silenciosa

Nesta terça, a partir de 19h15, a Faculdade Murialdo também promove a palestra "Suicídio: uma epidemia silenciosa", com a psicóloga Fabiana De Zorzi. O encontro ocorrerá no Miniauditório I da Unidade Sede (Rua Marquês do Herval, 701). A ação é destinada à comunidade acadêmica e externa. Para participar, é necessário fazer inscrição no http://bit.ly/famursetamarelo. A entrada é gratuita.

Palestras no HG

O Hospital Geral (HG) de Caxias do Sul oferecerá duas palestras com profissionais da área de Psicologia. Nesta quarta (18), às 9h30, a psicóloga clínica do Instituto LUSPE, Fabiana Raymundo de Valença, abordará o tema “Prevenção e cuidados nas circunstâncias que envolvem o suicídio”. Na quinta, às 14h30, a professora do curso de Psicologia da Universidade de Caxias do Sul, Verônica Bohm, falará sobre “Sou profissional, mas também sou ser humano: é possível!”. As palestras ocorrerão no Auditório Censi Florense do Hospital Geral. As inscrições podem ser feitas em https://www.hgcs.com.br/capacitacoes.php.





Publicidade