Cidades

Pelo sétimo ano seguido, Carlos Barbosa lidera ranking do Idese

03 de outubro de 2019 às 08:53
Foto: Divulgação

O Rio Grande do Sul registrou crescimento de 0,34% no Índice de Desenvolvimento Socioeconômico (Idese) em 2016. Na comparação com 2015, o indicador passou de 0,751 para 0,754, o que mantém o estado no patamar de desenvolvimento médio. Dos três blocos do Idese, dois tiveram percentuais positivos: o da educação, com o maior avanço relativo (1,73%), e 0,26% da saúde, o que assegura o segmento no topo do Idese desde 2009 (agora em 0,819). Fruto do cenário econômico, o bloco renda foi o único a ter retração, 0,89%, acumulando perda de 4% nos últimos dois anos da série.

A divulgação do Idese 2016, nesta quarta-feira (2), incluiu também os indicadores por municípios e por Conselhos Regionais de Desenvolvimento. Pelo sétimo ano consecutivo, Carlos Barbosa figura na liderança do índice geral para os municípios, com 0,884, desempenho levemente superior a 2015 (0,879), mas ainda inferior ao seu ápice de 2014 (0,892). Outros municípios da Serra posicionados entre os 10 melhores são Nova Araçá (3º), Veranópolis (5º), Garibaldi (8º) e Nova Bassano (9º).

Entre os municípios com maiores índices no bloco educação, Picada Café, na região das Hortênsias, se manteve no topo pelo segundo ano consecutivo. Veranópolis aparece em 3º. Quanto à renda, Carlos Barbosa é o segundo da lista. Em termos de saúde, os cinco primeiros são da Serra. Pela ordem: Nova Roma do Sul, Nova Araçá, Nova Pádua, André da Rocha e São Jorge.

O estudo também aponta as condições dos 20 municípios com população superior a 100 mil habitantes. O ranking do Idese é liderado por Bento Gonçalves. Caxias do Sul aparece na quarta posição, atrás de Porto Alegre e Santa Cruz. Por segmento, Bento Gonçalves tem o primeiro lugar em saúde, o segundo em educação e o terceiro em renda. Caxias só tem o segundo lugar em saúde.