Política

Oposição define retorno de ex-titular da Smel como afronta aos desportistas

A volta de Marcia Rohr da Cruz ao Executivo foi criticada pelos vereadores contrários ao governo municipal
08 de maio de 2019 às 11:02
Foto: Mateus Argenta, Divulgação

A nomeação da ex-secretária de Esporte e Lazer de Caxias do Sul, Marcia Rohr da Cruz, ao cargo de diretora-geral da pasta, repercutiu no plenário do Legislativo, na sessão desta terça-feira (7). Os vereadores de oposição se manifestaram contra a decisão do prefeito Daniel Guerra/PRB. Ela foi a primeira titular da secretaria no atual governo, de janeiro a julho de 2017.

Envolvida em um impasse entre Executivo, que queria alterar a lei do Fiesporte, com redução dos valores para os projetos, e os desportistas, que não aceitavam a intenção do prefeito, Marcia teve um áudio vazado nas redes sociais, onde chamou o programa de financiamento esportivo de “imundícia”. A declaração repercutiu tão mal, que ela acabou pedindo exoneração.

A posse de Marcia ocorreu na tarde de segunda-feira (6). Ela fará parte do segundo escalão da Smel como auxiliar do recém-nomeado secretário, Daniel Bianchi. Ele está no cargo desde 29 de abril, depois que o prefeito exonerou o ex-secretário Paulo Gedoz de Carvalho. O motivo sua discordância com relação à ideia do Executivo de transformar a Smel em um departamento da Secretaria de Educação.

FALTA DE RESPEITO

O debate foi puxado pelo vereador Alberto Meneguzzi/PSB. Elei foi um dos maiores críticos da postura de Marcia, quando titular da Smel. O socialista fez severas críticas públicas ao que considerou de política de desmonte do Fiesporte. “Confesso que quando vi um link que me mandaram, pensei até que era fake news. Assim como eu, muitos desportistas ficaram estarrecidos também. Essa nomeação da ex-secretária é o legítimo passo para trás. Eu considero o início do fim do governo Guerra. A nomeação dela é um deboche ao esporte. É um desatino do prefeito, é uma afronta, é ridicularizar os desportistas dessa cidade, é uma ofensa, uma humilhação”, definiu.

Ainda, segundo Meneguzzi, Marcia desrespeitava e levantava calúnias contra os desportistas. “Ela abusou do cargo, do poder que tinha como secretária. Ela deu a entender em manifestações, que desportistas, que há muito tempo trabalham por esta cidade de forma honesta e correta, prestam um serviço decente, que salvaram vidas de jovens, crianças e idosos com seus projetos esportivos, cometiam erros intencionais na prestação de contas, que havia desvio de recursos”, ressaltou.

COMO CRITICARAM...

ADILÓ DIDOMENICO/PTB – “Como confiar num governo que não respeita o seu primeiro escalão, que trai o seu primeiro escalão? Então, várias vezes disse que é um governo que atua de costas para a população. Mas não só para a população de um modo geral, também para os seus secretários. Porque, enquanto o secretário estava tentando organizar a pasta, o prefeito havia autorizado reuniões secretas para desmontar a pasta”.

ELÓI FRIZZO/PSB – “O professor Paulo Gedoz, com todo o seu conhecimento e prestígio, foi usado desavergonhadamente por essa administração e jogado fora. E aí voltou a imundície, com aquele currículo, que ela pode concorrer à secretária-geral da ONU. Ela não precisa se sujeitar a um salariozinho de diretora da Smel”.

FELIPE GREMELMAIER/MDB – “Acho, que para tentar resumir a indignação dos desportistas de Caxias do Sul, neste momento, ontem [segunda], foi o momento de dar o cartão vermelho para o esporte de Caxias. Acabou. Está excluído. Quem vai participar da Secretaria de Esporte e Lazer, que logo aí na frente vai virar departamento da Secretaria de Educação? Então, ontem à noite, vereador Alberto, eu quero poupar as palavras aqui, mas ontem à noite foi dado o cartão vermelho para os desportistas de Caxias”.

DENISE PESSÔA/PT– “Esse governo já vem com uma política e não me surpreenderia que ela já não estivesse participando, inclusive, desse grupo que pensou no encerramento da Secretaria de Esporte e Lazer. A política desse governo é acabar com projetos que façam a população mais feliz, é isso. Essa Prefeitura quer acabar com a alegria dessa cidade. Mais uma vez parece que Caxias do Sul não precisa de esporte e isso a gente quer lamentar”.

RAFAEL BUENO/PDT– “Chama todo mundo de imundícia: aquela criança que está lá no Bairro Fátima, que precisa pegar ônibus, o transporte, para ir ao projeto Pescar, que foi cortado o transporte do Navegar. Aquelas senhoras dos clubes de mães. Ela queria tirar as academias da melhor idade dos bairros. Como tu vai tirar algo que tem que ser colocado em todos os bairros?”.

“Atire a primeira pedra quem nunca errou”

O vereador da bancada de situação ao governo municipal, Renato Nunes/PR, foi à tribuna da Câmara para defender a nomeação de Marcia Rohr da Cruz para diretora-geral da Smel. Ele ponderou que ela não pode ser hostilizada eternamente por ter chamado o Fiesporte de “imundícia”.

Conforme o parlamentar, Marcia já sofreu as consequências da declaração pública, dada sem medir as consequências da manifestação. Invocando Jesus Cristo, em uma das passagens bíblicas da vida dele, Nunes pediu a absolvição de Marcia e que os adversários políticos do Executivo parem de persegui-la politicamente. “Quem nunca pecou atire a primeira pedra. Ela errou, sim, e pagou o preço. Agora, não é que ela é da Cruz que nós vamos crucificar a mulher também, poxa! Errou, pagou, enfim, como muitos erraram. E, gente, todo dia a gente erra, todo dia. E quando a ex-secretária Marcia da Cruz falou aquela palavra, não falou em público. Não é porque ela cometeu um erro que vamos, como diz o gaúcho, marcar na paleta o resto da vida, poxa! Isso aí já se torna perseguição. Cadê os Direitos Humanos?”, argumentou.





Publicidade