Economia

Mercado de trabalho cai ainda mais para os jovens

19 de agosto de 2019 às 09:12
Foto: Banco de Dados

Proporcionalmente à população, Caxias do Sul segue tendo mais jovens trabalhando formalmente do que as médias brasileira e gaúcha. O Boletim Anual Juventude e Mercado de Trabalho, elaborado pelo Observatório do Trabalho da Universidade de Caxias do Sul, aponta que 31% dos trabalhadores que estavam empregados em 2017 tinham entre 14 e 29 anos. São perto de 49 mil jovens dentre os 155,7 mil vínculos empregatícios da época. No Brasil, a média é de 29,1% e, no Rio Grande do Sul, de 29,8%.

No entanto, desde 2013, a participação vem diminuindo gradativamente. Em 2013, a relação era de 36%. Na avaliação dos pesquisadores, isto decorre da tendência de queda estrutural na economia do trabalho. Situação que tem ligação com três fatores: diminuição na proporção de jovens na população total; aumento da escolaridade entre a população jovem, causando atraso do ingresso no mercado de trabalho; e migração da força de trabalho jovem para a informalidade. Em relação a 2016, houve o fechamento de 167 vagas para quem até 17 anos; 424 para a faixa dos 18 aos 24 anos; e 978 para idades entre 25 e 29. Para quem tem acima de 30 anos foram fechadas 470 colocações formais.

A maioria dos jovens na atividade formal tem entre 24 e 29 anos, com ocupação principalmente na indústria. Por faixa salarial, a construção civil é a que melhor paga para quem tem até 17 anos (R$ 860); e a indústria é que a melhor remunera as faixas seguintes: R$ 1.942 para a faixa dos 18 aos 24; e R$ 2.736 dos 25 anos 29 anos. Mas também é que menos paga até os 17 anos.





Publicidade