Cidades

METALÚRGICOS: Convenção coletiva tem primeiro encontro

12 de junho de 2019 às 12:27

As comissões dos sindicatos empresarial e dos trabalhadores da atividade metalúrgica de Caxias do Sul realizaram, nesta terça (11), a primeira reunião de negociação salarial para a convenção coletiva de 2019. O presidente do sindicato das indústrias, Reomar Slaviero, reiterou a importância do clima de diálogo e o bom nível que deve regular toda a negociação.

O consultor de planejamento da entidade, Rogério Gava, apresentou os dados macroeconômicos, bem como os resultados da indústria caxiense até abril, mostrando o momento ainda delicado por que passam as empresas do setor. Comentou, de forma específica, sobre a lentidão do processo de recuperação econômica, os dados do desemprego e as perdas sofridas pela indústria nos últimos quatro anos. “A negociação que se inicia pede cautela e bom senso, buscando, ao final, preservar trabalhadores e empresas. Esperamos do sindicato dos trabalhadores sensibilidade diante do momento econômico e da grave crise social e política em que todos estamos inseridos, sem exceções”, reforçou Slaviero.

 

Perdas com a rotatividade

 

Em contraposição, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Assis Melo, afirmou que a realidade dos trabalhadores é de arrocho salarial, principalmente, pela rotatividade. Segundo ele, no ano passado, foram contratados 16 mil metalúrgicos em Caxias do Sul, mas 13 mil perderam o emprego. “Houve perda de 18% nos salários dos recontratados. Acumulado em seis anos, esse índice chega a 33%”, argumentou. Fez a defesa de que é preciso encontrar um caminho para recuperar o poder de compra dos salários para que a cidade volte a crescer.

O representante dos trabalhadores alegou que reposição da inflação, de 4,78%, sinalizada pelos empresários, é insuficiente. “Dar as mãos não pode significar arrocho na renda dos metalúrgicos e miséria na cidade. É a mão do metalúrgico que tem feito os excelentes resultados da indústria de Caxias. Só inflação significa reposição e não recupera as perdas com a rotatividade", reforçou. 

Nova reunião foi marcada a terça (18), às 9h. A data-base é 1º de junho, envolvendo 3.053 empresas e 48.145 trabalhadores dos municípios de Caxias do Sul, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Nova Pádua, Nova Roma do Sul e São Marcos.