Economia

METALÚRGICOS: Classe empresarial propõe 4,78% para acordo do dissídio

19 de junho de 2019 às 12:36

A comissão do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico (Simecs) de Caxias do Sul e Região apresentou, na manhã desta terça (18), proposta para o encaminhamento da convenção coletiva de trabalho de 2019. Os empresários propuseram reajuste de 4,78% sobre o salário vigente na data-base anterior, e que se aplicaria, igualmente, sobre os demais valores salariais previstos na convenção. Para os representantes dos trabalhadores, a proposta é insuficiente, pois não contempla a questão principal e prioritária: um índice que represente a recuperação do poder de compra dos salários, defasados não só pela inflação, mas também pela rotatividade.

O presidente do Simecs, Reomar  Slaviero, lembrou os recentes acontecimentos durante o movimento paredista de 14 de junho de 2019, patrocinado por entidades sindicais, chamando a atenção quanto aos prejuízos decorrentes de atos dessa natureza a trabalhadores, empresas e comunidade em geral e, principalmente, ao processo de negociação, que requer clima de total serenidade. Já o presidente do sindicato laboral, Assis Melo, defendeu avanços e sensibilidade dos empresários com a realidade dos trabalhadores. “Com mais renda, o metalúrgico consome mais, gerando qualidade de vida e mais empregos em outros setores da cidade, como o comércio", argumentou.

Nova reunião de negociação ocorrerá no dia 25 de junho. A data-base é 1º de junho envolvendo 3.053 empresas e 48.145 trabalhadores dos municípios de Caxias do Sul, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Nova Pádua, Nova Roma do Sul e São Marcos.