Política

Legislativo adia votação

19 de julho de 2019 às 09:10
Foto: Gabriela Bento Alves, Divulgação/Banco de Dados.

Na sessão desta quinta-feira estava em pauta de votação de um ofício da Comissão de Ética Parlamentar comunicando a decisão adotada, por maioria, de acatar o parecer do relator da subcomissão, vereador Edi Carlos Pereira de Souza/PSB, pelo arquivamento da representação contra o vereador licenciado Chico Guerra/Republicanos. Depois de intenso debate, ficou decidido o adiamento da votação do parecer até a próxima sessão (23). O pedido foi do vereador Paulo Périco/MDB.

A denúncia é do vereador Rafael Bueno/PDT. Em maio do ano passado, ele denunciou Chico por quebra de decoro parlamentar em razão do vazamento de um áudio entre ele e o ex-coordenador de Relações Comunitárias, Rafael Bado, sobre o presidente da Amob Cânyon, Marciano Correa da Silva. Na conversa, Chico diz ao ex-CC que o prefeito havia mandado retaliar a comunidade, tendo em vista a forte oposição de Marciano ao atual governo. Além disso, que ele precisava levar um corretivo e era o número 1 da lista negra do prefeito.

Na defesa da proposição, Périco alegou que o processo não foi bem instruído e ressaltou o aspecto político do ato. “O que estamos aqui discutindo não é a retaliação efetiva no bairro, mas a falta de decoro parlamentar de um vereador. Concordo com as colocações do vereador Beltrão e acredito que esta Casa tem que tomar uma posição, porque estamos cansados, na história republicana brasileira, de que nada acontece com político”, manifestou.

Rafael Bueno avaliou a decisão dos colegas vereadores. Ele considera fundamental a presença de todos em plenário no momento da votação. “Acho importante eles se posicionarem, independentemente da decisão que tomarem. O voto será a resposta para as pessoas, instituições e servidores, que estão sendo vítimas dos desmandos, do assédio moral e dos corretivos. É preciso dar um basta nessa lista negra do pior prefeito de Caxias, chamado Daniel Guerra”, assinalou.





Publicidade