Cidades

Governador reafirma posição de defesa da imprensa livre

Eduardo Leite foi um dos painelistas de evento realizado pela Associação dos Diários do Interior
25 de junho de 2019 às 12:57
Foto: Itamar Aguiar, Palácio Piratini/ Divulgação

O governador Eduardo Leite foi um dos palestrantes do 15° Seminário de Benchmark dos Diários do Sul do Brasil. Organizado pela Associação dos Diários do Interior do Rio Grande do Sul (ADI-RS), o evento reuniu durante esta segunda-feira (24), no Hotel Plaza São Rafael, em Porto Alegre, representantes dos 24 jornais que integram a entidade para aperfeiçoamento das empresas e seus colaboradores.

Leite iniciou a participação reforçando sua posição de livre publicação de informações pelos meios de comunicação, sem interferência do Estado. "Eu lido bem com as críticas e acho que se forem bem construídas, com responsabilidade, podem ajudar a melhorar a gestão pública. Por isso, defendo uma imprensa livre para criticar e livre para ser criticada também", afirmou.

O governador pediu apoio aos jornais para divulgar e explicar aos gaúchos a agenda de desenvolvimento que está propondo para o Estado. "Dada à grave situação fiscal, é muito imponente termos o apoio dos jornais, não ao governo em si, mas ao Estado, para que a população possa entender a agenda de transformação que estamos propondo e que são necessárias para a retomada do crescimento do Rio Grande".

Nesse sentido, Leite destacou os projetos de privatização em tramitação na Assembleia Legislativa, cuja expectativa é de que sejam votados em julho. "Não estamos vendendo as estatais apenas para gerar dinheiro para o caixa do Estado, pagar passivos e fazer investimentos, também porque acreditamos que os investimentos que serão feitos nesses setores vão melhorar os serviços prestados e gerar desenvolvimento", afirmou o governador.

Ainda durante reunião-almoço, Leite falou sobre as pautas já aprovadas na Assembleia graças à agenda do diálogo, que abre espaço para conversar com todos, independentemente de partido ou ideologia, e sobre os avanços em demandas com impacto especial no interior do Estado e, por isso, amplamente divulgada nos diários da ADI, como é o caso dos passivos da saúde. O governador ressaltou que a dívida herdada com 385 municípios entre os anos de 2014 e 2017 está quitada. Agora, o Estado passará a pagar as 15 parcelas restantes da dívida do exercício de 2018. Herdado das gestões anteriores, o passivo chega a R$ 216 milhões e será zerado em setembro de 2020.

Ainda na área da saúde, o Estado também já disponibilizou R$ 260 milhões aos hospitais filantrópicos e às santas casas gaúchas. Paralelamente, o governo vem mantendo a regularidade dos repasses referente ao exercício de 2019. "Precisamos resolver o passado para podermos sustentar o presente e projetarmos um futuro melhor para todos os gaúchos", disse o governador.





Publicidade