Política

Geni Peteffi segue como símbolo da luta contra o câncer

Veto do prefeito Daniel Guerra ao projeto de lei foi derrubado pela maioria dos vereadores
28 de junho de 2019 às 12:27
Foto: Gabriela Bento Alves, Divulgação

O plenário da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul derrubou, na sessão desta quinta-feira (27), o veto total do prefeito Daniel Guerra/Republicanos ao projeto de lei que denominou com o nome da ex-vereadora Geni Peteffi/MDB o Dia Municipal de Luta Contra o Câncer de Mama. O Executivo alegou que a matéria é inócua e fere o princípio do interesse público. Este foi o 13º veto total do Executivo a projetos aprovados pela Câmara de Vereadores, em 2019. Apenas o vereador Renato Nunes/PR votou a favor do prefeito.

A discussão começou ainda no Grande Expediente. O tema foi levantado por um dos autores do projeto, o vereador Edson da Rosa/MDB. Ele criticou os argumentos do governo para vetar a proposta. “Parece que isso é coisa de um gestor que, quanto mais críticas a gente faz ou tenta admoestá-lo, mais ele cresce no sentido de contrapor com argumentos que não tem a menor lógica”.

Já segundo autor, vereador Gustavo Toigo/PDT, classificou como ínfima e infeliz a atitude do prefeito. Ele afirmou que as razões do Executivo não se sustentam e se tratam de uma falta de reconhecimento. “Ele é inconveniente, porque não dá a importância devida à trajetória da ex-vereadora, e não se sustenta juridicamente porque o veto, inclusive, contém erros. Isso que passou pela Procuradoria-Geral, mas ele não afronta nem a Constituição, nem a Lei Orgânica do Município”, reagiu.

MDB lança nota de repúdio

A líder da bancada do MDB, vereadora Gladis Frizzo leu uma nota de repúdio sobre o veto ao nome de Geni Peteffi. No documento, a bancada do partido ressalta que o “combate ao câncer de mama foi uma das principais bandeiras de Geni Peteffi, uma das pessoas públicas que mais colaborou com Caxias do Sul em toda sua história... Por todos esses feitos, a bancada do MDB considera uma injustiça o veto do prefeito à proposição que, muito além de homenagear Geni Peteffi, serve para perpetuar ações de combate e prevenção ao câncer de mama. Vale lembrar que a lei criada pela vereadora virou referência nacional por gerar campanhas de saúde pública.”

Conforme Gladis, o veto reforça que o Executivo não dialoga com a sociedade. “Não é querer fazer cavalo-de-batalha num veto, mas isso, infelizmente, demonstra a forma de diálogo da atual gestão. Se o prefeito tem essa prerrogativa de vetar qualquer projeto, que o faça, mas converse com os autores, chame para discutir”, salientou.

O QUE DISSERAM OS OUTROS EMEDEBISTAS

FELIPE GREMELMAIER – “Ineficácia são todas expressões dele. Diretriz que norteia a atual Administração é a falta de respeito com as pessoas. Afronta às pessoas é outro norte dessa Administração. Eu tento me colocar no lugar da procuradora-geral [Cássia Kuhn], que assinou esse veto que vai contra tudo aquilo que aprendeu na faculdade. Ter que fazer um enfrentamento com a sua própria formação de achar absurdos desses”.

PAULO PÉRICO – “Esse veto é a demonstração da personalidade desta administração em não reconhecer aquelas pessoas que construíram, contribuíram com a história de Caxias do Sul. Ele [Daniel Guerra] faz uma colocação de que acarretará custos para o Município em publicidades futuras, isto é, se lá na Prefeitura já tem um material com nome e tem uma campanha pronta, mas não tem a campanha pronta”.





Publicidade