Política

Frizzo defende CPI

15 de agosto de 2019 às 09:44
Foto: Fotos Pedro Rosano, Divulgação

O vereador Eloi Frizzo/PSB se pronunciou na tribuna da Câmara, na sessão desta quarta-feira (14), para refletir sobre o exercício da atividade. Segundo ele, alguns norteiam o trabalho pelas demandas sociais. “Para eles, é importante desentupir bueiro, trocar lâmpada, encaminhar o cascalhamento, trocar uma ponte que precisa de manutenção. São vereadores que têm esse perfil e eu respeito. Eu procuro aqui cumprir exatamente o que determina a Lei Orgânica. O nosso papel aqui é um papel fiscalizador e propositor”, salientou.

Segundo a linha de raciocínio, Frizzo chamou a atenção dos colegas para a situação da saúde pública do Município. Ele ressaltou que o Executivo anunciará brevemente o resultado da licitação da empresa que vai assumir a terceirização da nova UPA Central. “Por meio de uma consulta no histórico das duas empresas selecionadas se vê que seus gestores deveriam estar presos. Este perfil de empresa é que vem concorrer para prestar serviço na nossa cidade”, alertou.

A situação levou Eloi Frizzo a propor que o Legislativo adote uma medida extrema sobre a gestão da saúde pública de Caxias. “Já está na hora de nós, enquanto Legislativo, sairmos dessa defensiva e darmos respostas mais incisivas à população sobre que meios a gente pode adotar aqui. Se confirmado qualquer anúncio com relação a essas empresas, acho que cabe aqui, urgentemente, a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI)”, defendeu.

O QUE DISSERAM...

ADILÓ DIDOMENICO/PTB – “A declaração da procuradora-geral do Município a respeito da Metalcorte é sintomática de um governo que se perdeu. Não conhece, nunca visitou, não sabe a demora que é para mudar uma empresa, para desocupar aquele local e fala, no máximo, em 10 dias. Então, isso é sintomático, de pessoas que não conhecem a realidade”.

ALBERTO MENEGUZZI/PSB – “Problemas de falta de pagamento de servidores, medicamentos, prestação de contas. O Tribunal de Contas acionando elas. É esse tipo de empresa que vem aqui buscar a terceirização da nova UPA? Uma situação que se apresenta em Caxias, repetindo o modelo do IGH, que administra a UPA Zona Norte com um festival de problemas”.

GUSTAVO TOIGO/PDT– “Um dos maiores pecados da gestão Guerra foi o afastamento da sociedade, do setor produtivo, empresariado, movimento comunitário, academia, setor esportivo e da cultura. Percebemos que essas pontes foram construídas ao longo das administrações, que elevou Caxias a um grande patamar a nível nacional”.

KIKO GIRARDI/PSD – “Mas também legislar e fiscalizar este prefeito não nos deixa. Tudo que se faz pela Câmara de Vereadores ele veta. Não deixa entrar no Postão. Tem que entrar no Ministério Público para ver se alguém nos ampara ou tem que ir lá fazer um barraco. Levar a Brigada, levar a Guarda Municipal para poder entrar. É a única maneira. Ele se encastelou”.





Publicidade