Educação

Flores da Cunha sediará primeira escola municipal cívico-militar

Método será incorporado a partir da autorização para o retorno das aulas
26 de junho de 2020 às 17:33

Uniforme foi apresentado em solenidade realizada na Prefeitura (Foto Divulgação)

A primeira escola municipal cívico-militar do Rio Grande do Sul será implementada em Flores da Cunha tão logo haja a retomada do ano letivo, suspenso desde março devido à pandemia da Covid-19. O uniforme que será usado pelos alunos da Escola Municipal Cívico-Militar Tancredo de Almeida Neves foi apresentado nesta sexta (26) pelo prefeito Lídio Scortegagna e pela secretária da Educação, Ana Paula Zamboni Weber. O ato foi prestigiado pelo deputado estadual Tenente-Coronel Zucco e pelo coordenador estadual das escolas cívico-militares, Marcelo Borella, além de militares da região.

A Secretaria da Educação iniciou a mobilização ainda em 2019 por meio de audiências públicas com os pais e alunos e encontros com o corpo docente da escola para planejar a implantação do método. O mesmo já é aplicado em diversas instituições de ensino do país, mas a escola florense será a pioneira no desenvolvimento deste planejamento no Rio Grande do Sul.

Dentre os diferenciais em relação ao método tradicional, a proposta da escola cívico-militar preocupa-se primordialmente em incorporar aos alunos atitudes e valores familiares, sociais e patrióticos. Também trabalha para que o cidadão em formação tenha consciência de seus deveres, direitos e responsabilidades como forma de preparar o aluno para qualquer campo profissional no qual venha a atuar no futuro.

Do ponto de vista disciplinar tem como meta a resolução de pequenos conflitos para a garantia da proteção individual e coletiva e atua preventivamente na identificação de problemas que possam influenciar no aprendizado e na convivência social dos alunos. Para tanto terá um monitor cívico-militar, que atua da porta para fora da sala de aula, sem interferir no ensino ou na questão pedagógica, que segue sendo de responsabilidade dos profissionais civis da área de ensino.

De acordo com determinações da Secretaria Municipal da Educação, a escola dará continuidade à proposta pedagógica construída com a comunidade escolar. Sua implementação ocorrerá por meio de ações definidas pela gestão, envolvendo diretor, vice-diretor e coordenador pedagógico, professores e monitor cívico-militar, com o objetivo de qualificar o processo ensino-aprendizagem. A escola terá regulamento próprio para aplicação de sanções e recompensas.

O uniforme será composto por abrigo, camiseta, blusão e jaqueta de nylon. Também será inserida a utilização de boinas ou casquetes para identificação dos alunos. Os meninos poderão optar por corte de cabelo curto ou raspado e as meninas deverão mantê-lo preso.

A escola tem atualmente 418 alunos. Na educação infantil de quatro e cinco anos, são 43 alunos; na infantil ao quinto ano, no turno integral, 160; e do 1º ao 9º anos, 258.