Coronavírus

Flores da Cunha é uma das cidades menos vulneráveis à doença

Instituto Votorantim criou ferramenta para medir a situação dos municípios brasileiros
22 de maio de 2020 às 19:29

Flores da Cunha é a quarta melhor colocada no ranking nacional e primeira no estado (Foto Divulgação)

Flores da Cunha está inserida dentre as 10 cidades brasileiras menos vulneráveis à Covid-19, segundo o Índice de Vulnerabilidade dos Municípios (IVM), criado pelo Instituto Votorantim para mapear o cenário da pandemia no país. O estudo, divulgado pela Revista EXAME, coloca o município em quarto lugar do país, e primeiro do Rio Grande do Sul.

O estudo considera fatores como proporção da população idosa, PIB per capita, situação fiscal da cidade e as condições de leitos disponíveis e de respiradores. Ao todo, o índice tem 18 indicadores distribuídos em cinco pilares temáticos de diferentes pesos: população vulnerável (32,5%), estrutura do sistema de saúde (23,5%), organização do sistema de saúde (21%), economia local e capacidade fiscal da administração (11,5% cada).

No levantamento foram usados somente dados públicos de diferentes bases, como as do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Sistema Único de Saúde, Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde e Agência Nacional de Saúde Suplementar. Na liderança do ranking de cidade menos vulnerável está Colina, de São Paulo; no extremo oposto, Mojuí dos Campos, no Pará. Dentre as 10 piores não há nenhuma cidade gaúcha.

Flores da Cunha fechou a semana com sete casos confirmados, dos quais três estão curados e quatro encontram-se em isolamento domiciliar. O único paciente internado no hospital da cidade é um homem de 33 anos, que aguarda resultado de exame. Outros 21 casos foram descartados. A Secretaria da Saúde ainda acompanha 17 pessoas, que não realizaram os testes, mas encontram-se em isolamento domiciliar nos últimos 14 dias, prazo de manifestação da doença.

Aumenta incidência de casos recuperados

Mais três pacientes foram notificados com a Covid-19, em Caxias do Sul, nesta sexta-feira, 22, elevando para 123 o total de confirmados. Destes, 80 estão recuperados, representando 63%. Dos 43 ativos, 39 encontram-se em isolamento domiciliar e quatro em leitos de enfermaria. A cidade tem o registro de três óbitos. A Secretaria da Saúde aguarda o resultado de exames de 37 pacientes suspeitos e 3.737 testes resultaram negativos, dos quais 1,5 mil realizados pela Universidade Federal de Pelotas.

Dos 126 casos confirmados, 43 são homens, entre 15 e 79 anos, e 83 mulheres, entre 20 e 96 anos. Na sexta foram notificadas duas mulheres, com 44 e 54 anos, e um homem de 54. No total, 49 são profissionais de saúde e dois da segurança.

A ocupação de leitos do SUS em unidades de tratamento intensivo era de 68% na sexta, com 30 unidades. Na rede privada, a ocupação era de 65%, com 43 leitos. Mais informações em https://covid.caxias.rs.gov.br.

EM BENTO GONÇALVES, houve a notificação de 19 novos casos confirmados, elevando o total para 440. Já o número de curados subiu para 285 com a liberação de 23 pacientes, nesta sexta. O índice de recuperação é de 64%. Dos ainda ativos, 12 estão internados em UTIs e 16 em leitos de enfermaria. Em isolamento domiciliar encontram-se 121. Dentre os suspeitos, há 811 em isolamento domiciliar, 11 em leitos de enfermaria e quatro em UTIs adultas.

EM FARROUPILHA, são 204 casos confirmados, dos quais 71 seguem ativos. Destes, 65 estão em isolamento domiciliar, cinco em leitos de enfermaria e um em UTI. Os 129 recuperados representam 63% dos positivos. A cidade ainda tem quatro óbitos, 86 pessoas em monitoramento e 367 testes deram negativos. Nesta sexta, houve confirmação de um caso e 27 suspeitos foram descartados.

NO RIO GRANDE DO SUL estão registrados 5.918 casos confirmados, em 253 municípios, com 172 óbitos. Lajeado é a cidade com mais pacientes com testes positivos, 733, e Passo Fundo, com o maior número de mortes, 27. O indicador de recuperados é de 70,5%.

O BRASIL teve 1.001 novas mortes na sexta, chegando ao total de 21.048. Os números foram divulgados nesta sexta pelo Ministério da Saúde, de acordo com informações da Agência Brasil. Ainda foram registradas 20.803 novas pessoas infectadas, somando 330.890. Destes, 135.430 (40,9%) foram recuperados.