Variedades

Figura paterna está em transformação

Mudanças podem ser determinantes na desconstrução da cultura machista
10 de agosto de 2019 às 09:48
Foto: Juan Pablo Arenas, Pexels/Divulgação

Cada vez mais as questões sobre igualdade de gênero e respeito à mulher têm repercutido na sociedade. Segundo uma pesquisa feita recentemente pelo Ibope, o machismo está presente no cotidiano de 99% dos brasileiros e 61% já pronunciaram algum comentário machista, mesmo que alguns não reconheçam o preconceito. Diante desse cenário e, em comemoração ao mês dos Pais, professores dos cursos de Psicologia da Cesuca, FSG e Unipê trazem à tona o debate sobre o posicionamento do papel paterno nos dias atuais em relação ao machismo.

Na década de 1970, os papéis dos pais no desenvolvimento de seus filhos quase não eram relatados, pois sua função era vista como provedor econômico à mãe, que, por sua vez, era caracterizada como o apoio emocional dos filhos. Para Tatiele Jacques Bossi, professora do curso de Psicologia do Centro Universitário da Serra Gaúcha (FSG), estudos mostram que o papel paterno está mudando ao longo das gerações, o que coloca também uma diversidade nas relações familiares. “Os pais demonstram mais sentimentos à sua família e, na maioria das vezes, as tarefas são divididas igualmente entre pais e mães, algo totalmente diferente em gerações passadas” afirma.

Em famílias que têm o pai em sua configuração, a figura paterna influencia diretamente na construção da identidade de seus filhos, afinal o pai, provavelmente, é a primeira figura masculina que a criança tem contato. Para Alberto Carlos dos Santos, professor do curso de psicologia do Unipê, o pai é visto como exemplo, e a criação que visa à desconstrução do machismo pode iniciar com atitudes dentro de casa. “Estabelecer no sistema familiar uma relação de respeito, parceria, cumplicidade e divisão de tarefas tanto domésticas, como de cuidado com os filhos de forma equilibrada, e se policiar o tempo todo de comentários que diferem o homem da mulher”, explica.

No âmbito psicológico, a ideia de desconstruir o machismo desde cedo resulta em futuros adultos mais seguros. “O machismo produz consequências negativas para os homens, pois ele cria parâmetros irreais de masculinidade, criando a imagem de um homem que não pode ser vulnerável e que não pode falar do que sente, causando transtornos psicológicos e de insegurança”, conclui a professora Paola Vargas Barbosa, coordenadora do curso de Psicologia da Cesuca.

 

Exercício pleno possibilita crescimento espiritual

 

O papel do pai vem se transformando. Ainda em construção, culturalmente essa função possui diversas habilidades que têm sido desenvolvidas e modificadas com o passar do tempo. Uma destas funções, que não pode ser negligenciada, é o cuidado com a alma e a importância espiritual do pai na caminhada dos filhos.

De acordo com a psicoterapeuta reencarnacionista Roberta Zulian, as figuras paterna e materna têm importância e responsabilidades diferentes, mas não necessariamente são representadas pelos pais biológicos. “O papel paterno não precisa ser cumprido pelo homem que gerou a vida, pois lembremos que as famílias são diferentes, com mães solteiras, padrastos, avós muito próximos, crianças adotadas ou casais homoafetivos, por exemplo”, aponta Roberta.

Segunda ela, o que importa é o acordo espiritual entre estas almas, que se reencontram após ligações anteriores especiais. “O compromisso espiritual vai além dos laços de sangue”. A função da mãe é acolhedora e protetora, enquanto a do pai é a de permitir que o filho se desafie, captando seus dons e habilidades, ajudando a criança a desenvolvê-los. “Este equilíbrio é o que proporciona a evolução mental e espiritual. Assim, a criança vai experimentando, ganhando confiança em si mesma e se sentindo capaz”, explica a psicoterapeuta.

Assumir esse compromisso com o outro, da harmonização por meio do amor e da compreensão, é entender a paternidade como uma chance de crescimento espiritual para todos. Porém, quando o pai deixa de cumprir essa função, ele deixa de evoluir. “A criança pode encontrar outras referências e ajuda durante a vida para que ela se desenvolva, mas o pai se manterá estagnado espiritualmente”. Para Roberta, o primeiro passo para que isso não ocorra é amor próprio. “Amando a si mesmo é o que torna possível o amor aos outros”.

 

Comércio espera lojas lotadas neste sábado

 

No mercado há mais de 20 anos, a loja Authentic Store registra bom desempenho de vendas para o Dia dos Pais, atingindo ticket médio de R$ 140, e ênfase em camisas polo. “Desde que assumimos o ponto, há pouco mais de um ano, percebemos que após a repaginada estrutural e no mix de produtos, as vendas cresceram. Em datas especiais, como o Dia dos Pais, chegam a triplicar”, destacou a proprietária Sibele Ferraz Spanhol.

Na Sapataria Moderna, as vendas também são consideradas boas. Embora um pouco abaixo do registrado no mesmo período do ano anterior. Para presentear os pais, os clientes estão desembolsando na faixa de R$ 100. “No ano passado, nessa época, tínhamos recém inaugurado e estávamos com muitas promoções. Hoje, os preços continuam muito atrativos e com constantes promoções, mas houve leve queda nas vendas. Mas como temos todo o sábado pela frente, a tendência é de loja cheia”, projetou a gerente Vanderléia Masetto.

Com desempenho semelhante ao registrado em 2018, mas aquém de 2015, quando alcançou o seu melhor índice de vendas para o Dia dos Pais, nos seis anos em que opera em Caxias do Sul, o cenário na Loja Econômica é avaliado como positivo. “Estamos com leve oscilação para baixo. Em média, o pessoal está investindo R$ 50 em camisas polo, pijamas e chinelos. Para nós, é a terceira melhor data, atrás do Dia das Mães e do Natal. Embora o reaquecimento esteja em ritmo lendo, acreditamos que o pior já passou”, disse o gerente Ademir Butzge.