Política

Estudantes protestam contra reforma proposta pelo governo

Movimento estudantil mostrou descontentamento com o governador Eduardo Leite
21 de novembro de 2019 às 11:47
Foto: Rodrigo Rossi Fotografia, Divulgação

Na manhã desta quinta-feira (21), cerca de 200 estudantes estiveram na Câmara Municipal de Caxias do Sul para manifestar contrariedade ao parcelamento de salário dos professores estaduais. O grupo também se mostrou indignado com a matéria em tramitação na Assembleia Legislativa que rege uma reorganização do plano de carreiras do magistério. Anderson Borges, representante do Grêmio Estudantil do Instituto Cristóvão de Mendoza, subiu à tribuna.

Em assembleia geral promovida pelos estudantes, houve definição pelo apoio à greve dos professores. “Vamos lutar, independentemente de qualquer situação e circunstância, porque, diferente de como a mídia mostra, não nos sentimos prejudicados por ter um professor em greve, mas sim por não ter um professor valorizado nas escolas”, justificou Borges.

O jovem relatou que os professores têm medo de retaliações caso fiquem sem dar aulas, e que os estudantes presentes ao Legislativo já presenciaram inúmeros casos de docentes que foram dar aulas acamados por doenças. “Queremos mostrar que enquanto eles (o governo do Estado) pensam que o professor faz greve para emendar feriado, ou descansar, ele faz greve para ser valorizado. É o nosso conhecimento que está sendo parcelado, e não vamos nos calar enquanto esse pacote de medidas do governo não for derrubado”, sentenciou.

Anderson Borges também conclamou a comunidade estudantil para cobrar uma posição dos políticos municipais e também daqueles que estão na Assembleia Legislativa, aonde a proposta de revisão da lei nº 6.672, de 1974, tramita em regime de urgência. Os alunos também levaram faixas e bandeiras em que pedem atenção à educação pública, exigências contra o governador Eduardo Leite (PSDB) e melhores condições aos professores. O ato contou com apoio da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES).