Cidades

Estudante desenvolve plástico biodegradável

Projeto de aluna caxiense será apresentado em feira internacional de ciências nos Emirados Árabes
14 de agosto de 2019 às 10:56
Foto: Denerlei Antonioli, Divulgação

Assim como milhares de toneladas de produtos necessários para o desenvolvimento humano são produzidos todos os anos, uma grande porcentagem, após o seu ciclo de vida útil, é descartada de maneira irregular. Com o avanço da tecnologia, pesquisas e disseminação de forma mais ágil da informação, várias são as mudanças para melhor, mas ainda há muito a se fazer. Desde a conscientização das pessoas, ao incentivo e apoio por parte de entidades pública e privada a projetos focados no desenvolvimento de ações que visam eliminar ou mitigar os danos gerados pela intervenção humana.

Desde 2017, Adriana Elisa Hentges, aluna do 2º ano do ensino médio do Colégio La Salle Carmo, de Caxias do Sul, trabalha no desenvolvimento do projeto Biopolímeros de Amido de Batata, elaborado para a Mostra Científica que ocorre anualmente na escola. “Como um dos maiores males que afetam o meio ambiente é a poluição pelo uso abusivo e descarte irregular de sacolas plásticas, pensamos em desenvolver algo que pudesse reverter essa situação. Após vários experimentos, chegamos à fórmula que leva vinagre, água, amido de batata e glicerina. Conseguimos um plástico biodegradável, que se decompõe em até seis meses. Uma sacola derivada do petróleo leva de 100 a 400 anos para se decompor”, explicou.

No início, o projeto era desenvolvido em conjunto com outras duas colegas. Atualmente somente Adriana trabalha no aperfeiçoamento. Nos testes realizados, o material ficou satisfatório, mas por limitações técnicas não conseguiu moldar uma sacola. “Para ter o avanço que tanto gostaria, preciso de apoio. Já entrei em contato com empresas que trabalham com plástico, mas nenhuma demonstrou interesse. Para desenvolver um produto, como uma sacola, é necessário ter equipamento especializado”, salientou.

Vaquinha para custear viagem

Em 2017, o projeto foi premiado na categoria 03 – 7º ao 9º ano na Mostratec Junior, que ocorreu em Novo Hamburgo, garantindo o credenciamento para participar da 9ª Expo-Ciências Latinoamericana ESI AMLAT 2018, em Antofagasta, no Chile. Nessa etapa foi selecionado para participar da Expo-Sciences International 2019, marcada para setembro próximo, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes. “Além da experiência de participar de eventos internacionais, levando o nome de Caxias com um projeto de interesse público, vejo a possibilidade de encontrar alguém que realmente apoie essa iniciativa. É um pouco triste ver que uma alternativa que traria enormes benefícios não encontra apoio da forma como deveria. O planeta clama por ajuda e respeito”, ressaltou Adriana Elisa Hentges.

Para participar da feira em Abu Dhabi, Adriana, que viajará em companhia da avó, precisa arcar com as despesas de voo, hospedagem, alimentação e transporte. Para arrecadar fundos, além de atividades realizadas na escola, foi criada uma vaquinha no Facebook: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/educanda-brasileira-rumo-aos-emirados-arabes?utm_campaign=facebook. Dos R$ 6 mil necessários, já foram arrecadados R$ 2.830. A campanha será encerrada no dia 5 de setembro.





Publicidade