Cidades

Estado registra a menor taxa de crescimento vegetativo em 2018

05 de setembro de 2019 às 08:41
Foto: Thiago da Luz Machado, Banco de Dados

Com um número de nascimentos que voltou a cair depois de dois anos de estabilidade, a população do Rio Grande do Sul apresentou em 2018 a sua menor taxa de crescimento vegetativo. A diferença entre nascidos e o registro de óbitos resultou em 51,5 mil novos habitantes no estado, o que significa aumento de apenas 0,46% na comparação com o ano anterior. São os menores patamares ao longo da série histórica iniciada em 2010, o que reforça uma tendência gradativa de redução ao longo dos próximos anos da faixa etária entre 15 e 59 anos, que constitui o grupo de pessoas consideradas potencialmente ativas.

Os principais aspectos da evolução populacional do estado foram detalhados nesta quarta-feira (4), quando a Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão apresentou as estimativas que permitem conhecer o perfil das 497 cidades por faixa etária, sexo e percentual de pessoas potencialmente ativas para atuar no mercado de trabalho. As informações estão disponíveis e atualizadas em PopVis: Portal Demográfico, ferramenta desenvolvida pelo Departamento de Economia e Estatística e que permite a visualização de maneira interativa dos dados da população gaúcha, incluindo pirâmides etárias de todos os municípios, Coredes e regiões funcionais, numa série histórica entre 2010 e 2018. Pelas estimativas, o número de habitantes no estado em 2019 ficará em 11.377.239, com taxa de crescimento ainda menor do que em 2018 (0,42%).

Em Caxias, só cresce a população com mais de 60 anos

De acordo com os dados apresentados, o incremento populacional de Caxias do Sul foi ainda menor do que no restante do estado: apenas 401 habitantes a mais, fechando em 468.919. Do total, são 230.434 homens e 238.485 mulheres. A principal alteração se dá nas faixas etárias.

O grupo de pessoas consideradas potencialmente ativas caiu 0,6%, equivalente a 1.917 indivíduos. Na faixa dos 15 aos 59 anos estão, agora, 312.604 moradores. Também reduziu a população de zero a 14 anos, na ordem de 1%, passando de 88.223, em 2017, para 87.413 no ano passado. Já o grupo acima de 60 anos teve acréscimo de 4,8%. Eram 65.774, em 2017, e somaram 68.912 no ano passado. Destes, 9.139 já passaram dos 80 anos, crescimento de quase 4%. São 5.907 mulheres e 3.232 homens. Em ambos, números acima de 2017.





Publicidade