Cidades

Escreventes do Judiciário paralisam

25 de setembro de 2019 às 09:20
Foto: Divulgação

Um grupo de 40 servidores se concentrou em frente ao Fórum da Comarca de Caxias do Sul, nesta terça-feira (24), para protestar contra a desvalorização da categoria e um projeto de lei em tramitação na Assembleia Legislativa, que propõe a extinção dos cargos de oficial escrevente. A medida, segundo os manifestantes, resultará na substituição de 3,5 mil funcionários por cargos de técnicos judiciários. Os escreventes são os que atendem a população nos cartórios de todas as comarcas. A paralisação em nível estadual tem a participação de 500 pessoas.

O Sindicato dos Servidores da Justiça do Estado, que representa a categoria, encaminhou ofício ao presidente do Tribunal de Justiça, Carlos Eduardo Zietlow Duro, informando sobre a paralisação e as reivindicações. No entanto, não obtiveram respostas no prazo de 72h, razão para tomar a decisão, em assembleia no dia 17, de paralisação.

A representante do sindicato em Caxias do Sul, Maria Albertina Nolasco Gonçalves, explica que não há plano de cargos para os funcionários e, a cada ano, são extintas novas categorias, sem reposição, sobrecarregando os trabalhadores que permanecem. A greve é por tempo indeterminado até que haja uma posição da presidência do Tribunal. Para cumprimento de determinação judicial, 30% dos servidores seguem atendendo ao público.





Publicidade