Economia

Empresa do Paraná assume controle da Translovato

Negociação anunciada na segunda (4) ainda depende de parecer do Conselho Administrativo de Defesa Econômica
05 de novembro de 2019 às 19:00

Translovato tem faturamento estimado em R$ 400 milhões (Foto Divulgação)

A BBM Logística, com sede em São José dos Pinhais (PR), assumiu o controle acionário da Translovato, de Caxias do Sul. A aquisição fortalece a atuação da operadora paranaense no segmento de transporte de cargas fracionadas, reforçando posição como uma das principais do setor de logística no Mercosul. A transação está sujeita a condições precedentes, incluindo a aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica.

A estratégia é parte do plano de crescimento da BBM. A Translovato é a segunda aquisição relevante nos últimos dois anos. Em 2018, a companhia adquiriu a Transeich e, atualmente, tem outras transações em andamento.

A Translovato, com 40 anos de existência, atende mais de 2.700 mil clientes, com 17 pontos de presença no Brasil e faturamento estimado em aproximadamente R$ 400 milhões para este ano. Com a aquisição, o faturamento anual da BBM atinge a marca de R$ 1 bilhão, triplicando sua receita desde 2017, ano do aporte do Fundo Stratus. A nova meta é chegar a R$ 2 bilhões de faturamento até 2022, o dobro do planejamento anteriormente.

Por meio de nota publicada no site da Translovato, o presidente Neri Carlos Lovato confirma o acordo firmado com a BBM Logística. Destaca que a associação criará um dos maiores operadores logísticos do Mercosul. Segundo ele, o nome e o modelo de negócio da Translovato não mudam. “O negócio seguirá seu curso normal, como ocorreu nos últimos 40 anos e continuarei minha trajetória na Translovato e BBM”, reforçou. Anualmente, a empresa realiza em torno de 3 milhões de despachos, transporta mais de 400 mil toneladas e movimenta cerca de 34 milhões de volumes.

A BBM atua no Mercosul e em todo o país, com destaque para a Região Sul, onde mantém, além da matriz, 14 das 31 unidades operacionais. Também está presente em cinco países da América do Sul por meio de unidades ou representantes. As operações abrangem contratos dedicados nos segmentos florestal, de gases do ar e em operações retroportuárias. A atuação inclui operações de transporte intermodal, lotação, armazenagem e serviços de valor agregado.

De acordo com o diretor-presidente da companhia, André Prado, o mercado de logística movimenta mais de R$ 140 bilhões por ano, sendo muito fragmentado e com forte tendência de consolidação. “Neste mercado nenhum player tem mais de 4% de participação. Temos muito espaço para crescer dada à relevância do modal rodoviário para o Brasil”, afirma.

Segundo ele, com crescimento orgânico combinado com aquisições selecionadas e foco nas soluções completas para o cliente, a intenção é dobrar de tamanho a cada três ou cinco anos, durante alguns ciclos consecutivos. “O setor de transporte tem espaço para várias empresas de grande porte e o mercado de capitais certamente vai apoiar os operadores com maior potencial”, acrescenta Marco Modesti, diretor financeiro e de relações com investidores. Neste ano, a empresa obteve registro de capital aberto e assinou contrato de listagem na B3, mas ainda não registrou oferta de ações no mercado. “As aquisições futuras poderão ser financiadas com emissão de ações e já estamos fazendo estudos nesse sentido”, antecipa.

Com a aquisição, a BBM passa a ter frota de aproximadamente 2 mil equipamentos, entre caminhões e implementos rodoviários, e mais de 4 mil funcionários. Fundada em 1996, há dois anos a empresa implantou um plano de crescimento com o ingresso do Fundo Stratus na estrutura de capital.





Publicidade