Política

ESTRADAS ESTADUAIS: Beltrão critica inércia de Guerra e descaso de Sartori

Inicialmente, o tema do pronunciamento do vereador Rodrigo Beltrão/PT, na sessão desta quarta, era para divulgar que o deputado estadual Pepe Vargas/PT solicitou ao secretário
21 de março de 2019

Inicialmente, o tema do pronunciamento do vereador Rodrigo Beltrão/PT, na sessão desta quarta, era para divulgar que o deputado estadual Pepe Vargas/PT solicitou ao secretário estadual de Transportes, Juvir Costella/MDB, a realização de uma audiência pública da Assembleia Legislativa para debater a precariedade das rodovias estaduais da região da Serra. Entretanto, o discurso acabou gerando a segunda maior polêmica da plenária.

Beltrão exemplificou a obra do trevo de acesso ao distrito de Fazenda Souza, na RSC-453 (Rota do Sol), como um dos problemas da malha rodoviária estadual na Serra Gaúcha. O parlamentar conclamou todos os setores da sociedade para participarem da audiência, caso ela seja realizada. Entre eles, enumerou as lideranças empresariais e políticas, como deputados estaduais da região e o Executivo de Caxias do Sul.

 

A PARTE DE CADA UM

 

Rodrigo Beltrão criticou o prefeito Daniel Guerra/PRB por não ter iniciativa de liderar o processo de discussão sobre o tema. “Lamento muito que, neste momento, falte essa liderança do Executivo Municipal, que deveria inclusive assumir esse movimento. Foram dois anos em que o prefeito [Guerra] se negou a dialogar com o seu criador, o então-governador Sartori. Uma briga de beleza do prefeito que não queria reconhecer quem criou ele. Então, imagino que passou aquele tempo onde o Município não conversava com o Governo do Estado”, responsabilizou.

O vereador também não economizou críticas à postura do ex-governador José Ivo Sartori/MDB. Segundo Beltrão, que também nada fez pela manutenção das rodovias. “Paradoxalmente, tivemos um governador de Caxias do Sul e foi o governo que menos fez pela cidade e por nossas estradas. Teve uma recuperação da Rota do Sol, que é um cronograma de obras que já estava previsto e captado recurso no Governo Tarso. Se a gente sair agora ali fora, ou mesmo aqui na Casa, e perguntar qual a obra do governador Sartori para Caxias do Sul, imagino que as pessoas vão ter muita dificuldade de sinalizar uma obra”, comparou.

 

ENGENHEIROS DE CADEIRA

 

Entre os vereadores que pediram aparte, Gladis Frizzo/MDB citou mais casos que envolvem as estradas estaduais da região. Exemplificou com a demora na obra realizada na ERS 122, no acesso ao bairro de Forqueta. “Agora, com a Havan ali na entrada do Rizzo, o Daer autorizou um projeto, mas nem pensar que foi um engenheiro que aprovou aquilo. Se a pessoa aprovou aquilo é engenheiro, eu também sou. Eles alargaram centímetros, um metro. São verdadeiros engenheiros de cadeira. Eles não vão ao local, eles não conhecem a realidade”, ressaltou.