Economia

Definidas as amostras de vinhos para a Avaliação

Trabalho feito por 120 enólogos será compartilhado com 1 mil apreciadores no dia 28
12 de setembro de 2019 às 10:04
Foto: Jeferson Soldi, Divulgação

Durante 24 horas, no período de 27 de agosto a 5 de setembro, 120 enólogos degustaram 338 amostras de vinhos para definir as 16 que serão as balizadoras da safra deste ano. As amostras têm origem em 47 vinícolas, de oito regiões produtoras brasileiras, e algumas percorreram 3 mil quilômetros até chegar ao Laboratório de Análise Sensorial da Embrapa Uva e Vinho, responsável pela coordenação técnica do evento, em Bento Gonçalves. Os produtos representam o Vale do São Francisco (BA), Sul de Minas Gerais, Leste de São Paulo, Planalto Catarinense e Rio Grande do Sul por meio da Serra Gaúcha, Campanha, Serra do Sudeste e Campos de Cima da Serra.

O resultado será anunciado no dia 28 de setembro, no Pavilhão E do Parque de Eventos de Bento Gonçalves, quando cerca de 1 mil apreciadores conhecerão a relação dos 30% mais representativos em cada uma das cinco categorias: brancos finos secos não aromáticos, brancos finos secos aromáticos, tintos finos secos, tintos finos secos jovens e vinho base para espumante. Neste dia, o público degustará, simultaneamente com um corpo de comentaristas, as 16 amostras selecionadas entre os 30%, provando na taça a representatividade da Safra 2019.

Há 27 anos, a Associação Brasileira de Enologia (ABE) lançou a Avaliação Nacional de Vinhos, que evoluiu junto com o setor e se tornou a maior degustação de uma safra do mundo. Tem enólogo que participou de todas as edições, outros estrearam este ano. Caso de Avelino Zanetti Filho. “Há muito tempo queria viver esta experiência. Sou enólogo desde 1998, mas sempre atuei na área comercial e conciliar a agenda não é fácil. Este ano tive o prazer de integrar pela primeira vez o grupo de enólogos que participou da degustação de seleção. Foi uma experiência que levarei para minha vida toda”, relata.

Lucindo Copat, enólogo há mais de 45 anos, é da geração que participou de todas as degustações de seleção. “Para nossa boa surpresa, a biodiversidade do Brasil nos mostrou e continua mostrando, a cada safra, novas descobertas. Nenhum de nós imaginava que o evento fosse chegar a este patamar e tivesse tamanha influência na imagem dos vinhos brasileiros”, relata.