Economia

Contratações temporárias serão em pequeno número

03 de outubro de 2019 às 09:25

Com sinais ainda pouco promissores de melhora no cenário econômico, a contratação de funcionários temporários no varejo gaúcho deve sofrer impacto. De acordo com pesquisa divulgada pela Fecomércio-RS, apenas 29,5% dos estabelecimentos abordados relataram ter intenção de reforçar o seu quadro funcional com a contratação de temporários.
O estudo buscou determinar o perfil das contratações de temporários e consultou 384 estabelecimentos em cinco municípios: Porto Alegre, Santa Maria, Pelotas, Ijuí e Caxias do Sul. As lojas de vestuário compõem 48,2% do número total de entrevistados, seguidas por acessórios (23,2%) e calçados (13%).

Entre as empresas que pretendem admitir novos colaboradores, a iniciativa deve representar incremento de 34,6% na força de trabalho. A maioria das contratações é para suprir as atividades de vendas/comercial (93,8%) e caixa/crediário (12,8%). Em comparação com 2018, 50,7% devem contratar volume de funcionários semelhante ao ano passado, enquanto 19,3% pretendem aumentar e 30% possuem projeção inferior.

Sobre as formas de admissões, é possível perceber que a reforma trabalhista ainda não surtiu efeitos práticos sobre o comércio: apenas 2,3% afirmaram que optarão por regime de contrato de trabalho intermitente e 0,5% admitirão terceirizados. Dentre os 384 estabelecimentos pesquisados, 61,5% contarão com algum tipo de exigência no momento da contratação. Dentre os critérios, destacam-se experiência (40,4%) e grau de instrução (19%).

A maior parte dos estabelecimentos dará início às atividades até novembro. A maioria dos contratos serão encerrados dezembro e fevereiro. A expectativa é que 39,8% sejam efetivados.