Política

Comissão quer posição da Prefeitura em 36 horas

09 de setembro de 2019 às 09:40
Foto: Gabriela Bento Alves, Divulgação

A Comissão de Saúde e Meio Ambiente do Legislativo protocolou documento na Secretaria Municipal de Planejamento, onde impõe prazo de 36 horas para que o titular Fernando Mondadori se manifeste com relação à visita solicitada, há oito meses, à obra de reforma do prédio do antigo Postão 24h, onde será instalada a futura UPA Central. Os integrantes do grupo de trabalho alegam a importância da abertura do novo pronto atendimento, a prerrogativa de fiscalização pelos vereadores e a cobrança que a população faz ao Parlamento sobre a real situação da obra.

Segundo o presidente da comissão, vereador Renato Oliveira/PCdoB, o grupo aguardará a resposta para adotar as providências necessárias. “Vamos avaliar para ver se entramos com mandado de segurança, se for necessário. Cansamos de esperar por uma reposta do Executivo. A obra já deve estar finalizada e não tem argumento para que a Câmara não seja autorizada a visitar”, afirmou. Como só contam dias úteis, o prazo imposto pela Comissão de Saúde vence na quarta-feira (11).

No dia 13 de agosto, os vereadores Alberto Meneguzzi/PSB e Kiko Girardi/PSD entregaram ofício à promotora Adriana Chesani, solicitando a intermediação e acompanhamento do Ministério Público para a visita dos parlamentares à obra da UPA Central. Os parlamentares alegam ainda a demora na conclusão, sem prazo definido pelo Executivo. Além disso, que o governo negou autorização para os vereadores visitarem a obra. Até esta sexta-feira, o MP não havia se pronunciado.