Coronavírus

Caxias retorna para bandeira vermelha

Pelo novo regramento, decisão anunciada pelo governo nesta sexta pode ser contestada pelos municípios até domingo, antes de vigorar a partir de terça
26 de junho de 2020 às 19:27

Se confirmada a bandeira vermelha, o comércio terá de ficar fechado por 15 dias (Foto Izlene Zortéa, Sindilojas Caxias, Divulgação)

Além das quatro regiões que já estavam na bandeira vermelha, o mapa do Distanciamento Controlado do Rio Grande do Sul apontou piora nos indicadores em outras cinco: Caxias do Sul, Erechim, Palmeira das Missões, Passo Fundo e Santo Ângelo. Somadas a Porto Alegre, Capão da Canoa, Novo Hamburgo e Canoas, o estado tem nove regiões na bandeira vermelha na rodada preliminar do modelo, divulgada nesta sexta-feira (26/6).

A decisão, no entanto, não é definitiva. Pelo novo regramento, os municípios podem contestar a classificação até domingo. O Estado avaliará as alegações e anunciará a posição final na segunda-feira, com as medidas em vigor a partir do dia seguinte. Desta forma, seguem valendo até terça (30) as regras da bandeira laranja e dos decretos municipais em vigor.

A Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne) recorrerá da decisão dentro do prazo legal e aguardará a nova avaliação do Estado. O prefeito Flávio Cassina, de Caxias do Sul, não ficou satisfeito com a mudança. "Encontramos várias inconsistências nos dados, que não batem com os do Observatório Regional. A Amesne apresentará o recurso em nome da região até domingo", informa.

Caso a bandeira vermelha for confirmada pelo governador Eduardo Leite, o comércio deverá fechar novamente as portas, a partir da terça-feira (30) por 14 dias. Restrições mais rigorosas também serão estendidas a outras atividades econômicas.

As cinco regiões passam a ser regidas por novas regras. Como foram classificadas na bandeira final vermelha por dois períodos consecutivos ou alternados, dentro do prazo de 21 dias, só poderão ser reclassificadas para outra menos restritiva depois de preencherem os requisitos por, pelo menos, dois períodos seguidos de mensuração. O decreto 55.322 permite que municípios sob bandeira vermelha sem registro de hospitalização e óbito por Covid-19 de algum morador nos últimos 14 dias e que mantenham rigorosamente atualizados os registros nos sistemas oficiais poderão adotar, por meio de regulamento próprio, protocolos para as atividades previstas na bandeira laranja. 

No mapa preliminar da 8ª semana, de um total de 301 municípios abrangidos pela bandeira vermelha, 186 poderão adotar protocolos previstos na classificação laranja. Na Região da Serra, 30 estão habilitados a usufruir deste benefício.

Somente as regiões de Taquara e Bagé se encontram em bandeira amarela, de risco baixo. As de Santa Maria, Uruguaiana, Cruz Alta, Ijuí, Santa Rosa, Pelotas, Cachoeira do Sul, Santa Cruz do Sul e Lajeado estão em bandeira laranja, risco médio. A região de Santa Rosa, que se encontrava em bandeira amarela, passou para laranja nesta rodada.

Causas da mudança

Apesar de nenhum dos indicadores de velocidade do avanço ter obtido bandeira vermelha ou preta, a Serra foi agravada pelos dois indicadores de incidência de novos casos sobre a população, pela mudança da capacidade de atendimento da macrorregião e, assim como as demais regiões, pelo impacto da alteração para bandeira vermelha no indicador de capacidade de atendimento mensurada pelo estado como um todo. O indicador de hospitalizações confirmadas para Covid-19 registradas nos últimos sete dias reduziu 14% entre as duas semanas, passando de 88 para 76. Porém, aumentaram o número de internados por síndromes respiratórias agudas graves (SRAG) em UTI, de 50 para 62; de internados em leitos clínicos Covid, de 51 para 57; e de internados em leitos de UTI Covid, de 38 para 40.

Os indicadores de incidência de novos casos sobre a população - hospitalizações confirmadas para Covid-19 em relação à população e projeção de óbitos em relação à população - mantiveram situação de maior risco: para o primeiro, a bandeira manteve-se como preta e, para o segundo, passou de laranja para preta. O indicador de leitos de UTI livres dividido pelos ocupados por pacientes Covid-19, mensurado para a macrorregião, permanece em situação de risco alto, com bandeira vermelha. O indicador da mudança da capacidade de atendimento também se agravou, passando de bandeira amarela para laranja, reflexo da redução de 12% no número de leitos de UTI livres no último dia para atender Covid, de 85 para 75.

Municípios que poderão adotar protocolos próprios na Serra

Alto Feliz, Antônio Prado, Boa Vista do Sul, Bom Jesus, Coronel Pilar, Cotiporã, Fagundes Varela, Feliz, Gramado, Guabiju, Jaquirana, Linha Nova, Monte Alegre dos Campos, Monte Belo do Sul, Muitos Capões, Nova Bassano, Nova Pádua, Nova Roma do Sul, Paraí, Pinhal da Serra, Pinto Bandeira, Protásio Alves, Santa Tereza, São Jorge, São José dos Ausentes, São Vendelino, União da Serra, Vale Real, Vila Flores e Vista Alegre do Prata.