Cidades

CPERS aciona Ministério Público contra o Estado

22 de julho de 2019 às 09:42
Foto: CPERS, Divulgação

O Núcleo 1 do CPERS Sindicato – Caxias do Sul entrou com ação no Ministério Público cobrando soluções urgentes do governo para problemas envolvendo saúde e educação. Na pauta, a estrutura deficitária do IPE-Saúde, devido ao fechamento da sede caxiense, atraso de salários dos contratados em regime emergencial e falta de professores para compor o quadro docente.

Conforme levantamento do sindicato, faltam mais de 100 professores nas escolas de Caxias do Sul. Em alguns casos, chegam a ser três vagas por estabelecimento. “Precisamos que esses problemas sejam resolvidos. Passou um semestre inteiro e nada foi feito. Os mais prejudicados são os estudantes, que estão ficando com aulas em atraso”, cobrou David Orsi Carnizella, diretor geral do 1° Núcleo.

Sobre a falta de professores, Ileane Cristina Paim, chefe da seção de recursos humanos da 4ª Coordenadoria Regional de Educação, informou que o processo de autorização para contratação tem início conforme as vagas são abertas. “Elas surgem por diversos motivos, como dispensa, licença e abertura de novos postos. Diante das nossas condições, trabalhamos para dar agilidade nesse processo, que nem sempre é fácil”, salientou.

Quanto ao atraso de salários, Ileane disse ser de ordem burocrática. “Para que receba, o contratado precisa estar com a documentação em dia, passando por todos os processos burocráticos, em várias instâncias envolvidas. É moroso e demanda tempo”, explicou.





Publicidade