Economia

Baixa reação na atividade urbana afeta mercado

10 de setembro de 2019 às 10:12

Historicamente responsável pelo maior volume de unidades físicas vendidas, o segmento de carrocerias sobre chassis não tem conseguido avançar no mesmo ritmo de emplacamentos dos veículos rebocados (reboques e semirreboques). De janeiro a agosto, foram entregues 35.938 unidades de implementos leves, alta de 30% sobre o mesmo período do ano passado. Já a linha de pesados avançou 51%, totalizando 42.527 emplacamentos. O total de 78.465 equipamentos vendidos representa acréscimo de 40,5% na mesma base de comparação.

Essa situação, na avaliação de Norberto Fabris, presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários (ANFIR), comprova a necessidade de manter a cautela quanto à recuperação de mercado. “A economia nos centros urbanos não reagiu com força e já estamos no segundo semestre de 2019” alerta.

Alento para uma recuperação mais efetiva deve vir em outubro, com a realização do Salão Internacional do Transporte Rodoviário de Carga (Fenatran), de 14 a 18, no São Paulo Expo. Em 2017, os 21 participantes do setor de implementos rodoviários informaram ter realizado negócios envolvendo a venda de 2 mil rebocados e 150 carrocerias sobre chassis. Nessa edição, a atividade terá 46 representantes. “Com mais do que o dobro de associados no evento, somado ao fato que estamos em curva positiva de recuperação, é bem provável que as empresas realizem negócios”, afirma.