Economia

Atividade econômica local deve crescer entre 7% e 10% no ano

Avanço depende, no entanto, da aprovação de medidas em tramitação no Congresso Nacional
04 de julho de 2019 às 13:02
Foto: Regina Lain, Divulgação

A economia de Caxias do Sul acumula, em cinco meses, alta de 8,1%, com resultados positivos em todos os segmentos. A expectativa das lideranças empresariais é que, aprovadas as reformas em tramitação no Congresso Nacional, o índice de crescimento para o fechamento do ano oscile entre 7% e 10%. O desempenho da atividade econômica de maio foi apresentado nesta quarta (3) por representantes da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) e da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) de Caxias do Sul. “Os dados mostram recuperação lenta, mas gradativa, em linha com o que vem acontecendo em todo o Brasil”, salientou o presidente da CIC, Ivanir Gasparin.

Em relação a abril, maio apurou alta de 4,8%. Sobre maio do ano passado, o incremento é ainda maior, de 17,3%. Esta alta, porém, se deve ao baixo índice de comparação, tendo em vista a greve dos caminhoneiros em maio de 2018. “A base do ano passado não foi tão boa assim, temos essa consciência”, afirmou a diretora de Economia, Finanças e Estatística da CIC, Maria Carolina Gullo.

O comércio é o setor de melhor resultado no acumulado do ano, na ordem de 20%. Na comparação entre maio deste ano com o equivalente de 2018 o crescimento é de quase 26%; sobre abril, o avanço é de 3,29%. Segundo o assessor de economia e estatística da CDL, Mosár Leandro Ness, a tendência é a recuperação de outros setores. “Já se pode observar uma suave recuperação, que tem se sustentado, mesmo que a duras penas. Com o Dia das Mães, o comércio foi impulsionado. No entanto, ainda é cedo para afirmar que a fase recessiva foi totalmente superada, afinal, ainda existe um elevado grau de incerteza com relação ao cenário econômico”, explica Ness.

 

Geração de empregos retornará

 

No acumulado de 2019 foram criados 3.485 empregos em Caxias do Sul e, nos últimos 12 meses, 4.593, elevando o estoque para 166.564 postos. Em maio, houve perda de 21 vagas.

“Mesmo que, neste momento, a abertura de postos de empregos esteja estagnada, ao longo dos últimos meses eles estão sendo recuperados. Com a economia seguindo num ritmo de fortalecimento, e com o governo passando confiabilidade, o empresário fica mais otimista para investir, empregos são gerados e o índice de consumo aumenta”, frisou o presidente da CDL, Ivonei Pioner.

 

Economia de Caxias (%)

 

Mês atual/

mês anterior

Mesmo mês

Ano anterior

Acumulado

no Ano

Acumulado

12 meses

Indústria

5,1

16,2

4,6

7,5

Comércio

3,3

25,8

20

6,8

Serviços

5,1

14,3

7,6

6,4

Maio

4,8

17,3

8,1

7,0