Variedades

Assembleia dos metalúrgicos rejeita proposta empresarial

23 de julho de 2019 às 09:10
Foto: Uliane da Rosa, Divulgação

O auditório do Sindicato dos Metalúrgicos de Caxias do Sul e Região lotou na manhã de sábado (20) para a assembleia geral da categoria que definiu os rumos da negociações do reajuste salarial. De forma unânime, os participantes rejeitaram a proposta feita pelos empresários de reajustar os salários somente com base na inflação, de 4,78%.

O presidente do Sindicato, Assis Melo, falou sobre a luta para o aumento real em todas as campanhas salariais, principalmente após 1990, quando o presidente do Brasil na época, Fernando Collor, mudou  a política salarial. “Até 1989, os salários eram indexados. Ou seja, a inflação era repassada automaticamente. Então, debatíamos a produtividade ou aumento real. O governo Collor acabou com essa política salarial e implantou a livre negociação. Os trabalhadores precisam sentar com os empresários e discutir o reajuste. Desde então, é uma luta para chegarmos ao índice da inflação. Temos que lutar por aumento de salário porque repasse de inflação não é aumento”, defendeu.

A direção também apresentou novas modalidades de sócios, anunciando que no próximo ano não haverá mais cobrança da Confederativa. “Haverá duas opções para se associar, cada uma com seus itens de serviços e negociações abrangentes. Quem não quiser se associar, deverá contribuir com a entidade com uma taxa negocial, que deverá ser estabelecida nas negociações de PPR e salarial, por exemplo", antecipou.