Entretenimento

Anunciados patrono e amigo da Feira do Livro 2020

Programação será desenvolvida no período de 27 de novembro a 13 de dezembro
25 de junho de 2020 às 17:56

Jornalista Dinarte Albuquerque Filho será o patrono da edição deste ano (Foto Divulgação)

Paulo Roberto Fogaça é livreiro desde os anos 1980 (Reprodução Facebook)

Nesta quarta-feira (25) foi definido o patrono e o amigo do livro da Feira do Livro 2020. O jornalista e escritor Dinarte Albuquerque Filho será o patrono desta edição e, o amigo do livro, o livreiro Paulo Roberto Fogaça. A escolha foi feita por uma comissão formada por representantes da Associação dos Livreiros Caxienses, Academia Caxiense de Letras, Conselho Municipal de Política Cultural, Departamento do Livro e da Leitura, Casa da Cultura Percy Vargas de Abreu e Lima e a secretária da Cultura, Luciane Perez. Neste ano, a Feira do Livro será realizada 27 de novembro a 13 de dezembro de 2020, na Praça Dante Alighieri.

Dinarte Albuquerque Filho é ativista da literatura em Caxias do Sul, editor, escritor e jornalista, formado pela Universidade de Caxias do Sul. É mestre em Letras–Literatura pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com a dissertação Paulo Leminski, um estudo sobre o rigor e o relaxo em suas poesias (2005).

É autor de Fissura no Asfalto (Liddo, 2019/2020); Leituras na Madrugada (Liddo, 2014); Leminski, o "samurai-malandro" (EDUCS, 2009); 3, com Odegar Júnior Petry e Fabiano Finco (Liddo, 2005); Um olhar sobre a cidade e outros olhares (ed. do autor, 1995); e Romã, com Fátima Jeanette Martinato (ed. dos autores, 1991). Participou, ainda, de antologias poéticas locais, como Misterioso Sul (Elos do Conto – Edição e Arte, 2018) e nacionais – livros, revistas, jornais e sites. Escreve regulamente para o blog leiturasnamadrugada.blogspot.com e para os sites artistasgauchos.com.br e prismajornalismo.com.br.

Paulo Roberto Fogaça é livreiro há 35 anos e fundador da Fogaça Livraria das Ciências Jurídicas. Especializado em venda de livros jurídicos, iniciou a carreira em 1985, na Livraria do Maneco. Em 1988, trabalhou como vendedor autônomo, com apoio da Livraria Acadêmica de Blumenau e, em 26 de agosto de 1988, fundou a Fogaça Livraria das Ciências Jurídicas. É membro da Câmara Rio-Grandense do Livro desde 2004 e da Associação dos Livreiros Caxienses desde 2010.