Economia

Agricultura familiar prepara maior participação da história na Expointer

Número de inscritos teve alta de 9,5%, somando 316 espaços de comercialização
23 de julho de 2019 às 10:28
Foto: Karine Viana, Palácio Piratini/Divulgação/Banco de Dados

A agricultura familiar terá a maior participação de sua história na Expointer. A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) divulgou a lista com todos os empreendedores rurais selecionados para ocupar os 316 espaços de comercialização oferecidos na 21ª Feira da Agricultura Familiar da Expointer. As inscrições foram homologadas pela Seapdr em conjunto com a comissão organizadora do pavilhão, formada por Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo, do governo federal, Emater, Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Estado e Via Campesina.

O pavilhão oferecerá aos visitantes toda a diversidade de produção das agroindústrias, artesanato rural, plantas e flores, além de quatro cozinhas com refeições. Os estandes serão divididos entre 312 estabelecimentos do Rio Grande do Sul, mais cinco do Rio de Janeiro e 10 de Minas Gerais. Ainda há quatro cozinhas que contam com produtos da agricultura familiar.

Serão 247 agroindústrias e 65 empreendedores nas áreas de artesanato rural, plantas e flores participando do Rio Grande do Sul. O número de inscrições é 9,47% maior do que no passado, quando 285 expositores participaram da feira. Neste ano, 55 empreendimentos participarão pela primeira vez. "Os produtos da agricultura familiar são muito apreciados pelos visitantes da Expointer e o pavilhão é um dos espaços mais visitados", lembra o secretário da Agricultura, Covatti Filho. A exposição ocorrerá de 24 de agosto a 1º de setembro, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio.

Pavilhão duplicado

No ano passado, além de completar 20 anos com sucesso reconhecido de público e vendas, o Pavilhão da Agricultura Familiar dobrou de tamanho, passando de 3,5 mil para 7,6 mil m². Além de garantir o aumento do número de expositores, o espaço possibilitou a ampliação da praça de alimentação para 410 lugares e a criação de um depósito interno, que facilita a reposição dos produtos por parte das agroindústrias.

O Pavilhão da Agricultura Familiar vendeu 40,3% a mais do que em 2017, alcançando a marca de R$ 4 milhões em negócios. Houve crescimento também no desempenho do setor de artesanato, que contabilizou R$ 1.277.968,48, com a venda de 30.930 peças. O aumento em comparação ao ano passado foi de 16,18%.

Apicultores farão campanha para estimular o consumo

O setor apícola se prepara para divulgar, na Expointer 2019, os benefícios do consumo do mel para a saúde e os diferentes tipos produzidos no estado. A proposta foi apresentada pelo grupo de trabalho da Câmara Setorial da Apicultura que se reuniu para definir estratégias de promoção do consumo do alimento.

O grupo de trabalho vai elaborar ações de promoção e divulgação de diferentes tipos de mel – laranjeira, uva do Japão e eucalipto, entre outros – que estarão à disposição do público na seção das câmaras setoriais no estande da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) no Pavilhão Internacional da Expointer. Outras linhas de ação para fomentar o consumo do mel incluem a inserção do produto na merenda escolar da rede pública estadual e campanhas promocionais e educativas que demonstrem aos consumidores os benefícios para a saúde, além de estímulo o uso na elaboração de alimentos como bolos, pães e biscoitos e em pratos da alta gastronomia. O Rio Grande do Sul é o maior produtor de mel do Brasil. São mais de 37 mil produtores que cuidam de 488 mil colmeias. O estado também é o maior consumidor de mel do país, com 120 gramas per capita por ano.





Publicidade