Política

APARTE

Na antevéspera de fechar uma ano preso na carceragem da Polícia Federal, em Curitiba, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva/PT usou do direito constitucional de permanecer
08 de abril de 2019

Na antevéspera de fechar uma ano preso na carceragem da Polícia Federal, em Curitiba, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva/PT usou do direito constitucional de permanecer calado, durante duas horas em depoimento, nesta sexta (5), no mesmo órgão onde está preso desde 7 de abril do ano passado. A orientação foi da defesa dele, que justificou não ter tido acesso aos documentos da investigação. A oitiva, que começou às 9h, era sobre dois inquéritos referentes a pagamento de propina pela Odebrecht em contratos da Sete-Brasil e suposto cartel de construtoras para a obra da usina hidrelétrica de Belo Monte. Lula cumpre pena de 12 anos e um mes, após condenação em segunda instância pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva, no caso do tríplex no Guarujá (SP). Em fevereiro, recebeu a segunda condenação. São mais 12 anos e 11 meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro na ação penal do sítio de Atibaia (SP).

FIEL ESCUDEIRO

Quem esteve em Porto Alegre nesta sexta foi o ex-candidato à Presidência da República, em 2018, Fernando Haddad/PT. Ele liderou a Caravana Lula Livre, onde conversou com a população sobre a prisão do ex-presidente. A caravana passará por Florianópolis, neste sábado, chegando domingo à Curitiba, onde haverá um ato pró-Lula. Assim como o companheiro, deputado federal Zeca Neto, ofendeu o ministro da Economia, Paulo Guedes, na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira, chamando ele de “tchuchuka e tigrão”, Haddad criticou o atual ministro da Educação, Ricardo Velez Rodrigues – que deverá ser exonerado por Jair Bolsonaro, mais tardar, nesta segunda-feira. O petista chamou ele de “Zé Ninguém”, explicando que Velez não é brasileiro e, muito menos, é conhecido no Brasil.

100 DIAS

Uma entrevista coletiva à imprensa marcará, na terça-feira (9), o balanço dos 100 dias de governo de Eduardo Leite/PSDB. O evento está marcado para às 9h, no Palácio Piratini. O tucano apresentará um relato dos três primeiros meses de governo. A expectativa do setor político é, principalmente, para as novas iniciativas que deverão ser adotadas pelo governo estadual nos próximos meses.

MDB EM CONVENÇÃO

O MDB/RS realiza, neste sábado (6), no Auditório da Associação dos Auditores-Fiscais da Receita Municipal, em Porto Alegre, a Convenção Estadual. A reunião ocorre das 8h30 às 14h. Serão eleitos os delegados municipais do partido, que irão eleger o novo Diretório Estadual, composto por 71 titulares e 23 suplentes. O novo diretório indicará os 17 integrantes da Executiva, que deverá continuar com o comando do deputado federal Alceu Moreira da Silva.

PTB NA APAE

Os vereadores Adiló Didomenico, Alceu Thomé e Flavio Casssina/PTB visitaram, na quinta-feira (4), a sede da Apae Caxias. Eles foram recebidos pela presidente executiva, Fátima Randon, e coordenadora administrativa-financeira, Elisabeth Leite Marin. A visita serviu para averiguar a falta de professores e o atraso no início das aulas. Adiló disse estar preocupado com a falta dos oito profissionais que foram reintegrados à rede municipal e com o atraso no repasse de R$ 192 mil à entidade. O valor foi acertado em contrapartida pelo Executivo. “O senhor prefeito [Daniel Guerra] está deixando essa herança para Caxias do Sul. Estamos diante de um gestor que não tem sentimentos, que gosta de prometer, mas na realidade as coisas não acontecem. Vamos olhar para esta entidade”, conclamou.





Publicidade