APARTE

03 de outubro de 2019 às 08:40
Foto: Marcelo de Gregory, Divulgação

Mistério desvendado

 

Finalmente, foi desvendado o mistério que o Executivo de Caxias do Sul tentou esconder por quase um ano, principalmente, dos vereadores. A vistoria-surpresa realizada, ontem (2), pela Comissão de Saúde da Câmara revelou que os boatos de que a obra de reforma do prédio do Postão 24 Horas para receber a nova UPA Central não andava tinham certa procedência. Isso porque, o que se viu no interior da obra não pode ter levado tanto tempo assim para ser feito. Pintura nas paredes e corrimões, rebaixamento da calçada e a transformação de um quarto de observação pediátrica em um sanitário, conforme afirmou o presidente do Conselho Municipal da Saúde, Alexandre Silva, foi o que os integrantes da Comissão e os jornalistas das Rádios Caxias e São Francisco, e da Folha de Caxias, viram no interior do prédio.

 

NENHUMA DAS SETE CHAVES

 

A total falta de vigilância no único acesso ao interior da obra revela que o segredo que o Executivo dizia guardar a sete chaves não está tão bem guarnecido assim. Os vereadores e a imprensa não tiveram nenhuma dificuldade para entrar no prédio, pois as duas únicas portas que levam ao local, localizadas em uma das laterais do complexo, estavam abertas e sem nenhum chaveamento. O fato denota que qualquer cidadão poderia entrar por ali e verificar o que ocorre de mudança na estrutura do antigo Postão, esvaziado há quase um ano a bem do programa UBS+ e da terceirização da nova UPA Central.

 

ARTICULAÇÃO PELA SERRA

 

O deputado estadual Neri, o Carteiro/SD esteve, ontem (2), na sede do DAER, em Porto Alegre, para reivindicar melhorias na RSC-453 (Rota do Sol). Na reunião com o diretor-geral, Sívori Sarti da Silva, ele entregou um abaixo-assinado, com mais de 600 assinaturas, apontando uma série de demandas sobre o trecho Serra-Litoral Norte. Neri cobrou reparos e sinalização horizontal nos quilômetros 236 e 240, que apresentam buracos e desníveis, além de não possuírem a pintura de divisão das pistas. O trecho fica próximo ao acesso a Tainhas. Ele também destacou a necessidade urgente de remoção das pedras que caíram sobre a pista no Viaduto da Cascata, no km4 da RSC 486, na altura de Aratinga, entre outras reivindicações.

 

ESTATÍSTICA DA FALTA DE GESTÃO

 

Na sessão da Câmara desta quarta (2), o vereador Rafael Bueno/PDT apresentou novos dados sobre a fila de espera na rede básica de saúde de Caxias. A estatística foi revelada pela representante da Secretaria de Saúde, que compareceu à reunião da Comissão de Saúde e Meio Ambiente, na tarde da terça (1). Segundo ele, 4.849 pessoas aguardam por cirurgias eletivas autorizadas e 8 mil por exames; 37 mil reivindicam atendimento no Centro Especializado em Saúde (CES), 367 mulheres estão na fila por cirurgias de mastologia e outras 248 pelo atendimento ginecológico. “Temos 14 pacientes presos, estão tendo a sua liberdade cerceada porque estão nos hospitais, porque não tem atendimento para fazer hemodiálise em Caxias. Aí o Hospital Geral fez um orçamento de R$ 160 mil. A diretora da Secretaria da Saúde disse que o Executivo não vai contratualizar porque é muito caro. Só as viagens do irmão Chico e do prefeito Daniel Guerra já deram mais do que isso. Já dava para custear um mês de tratamento para essas pessoas”, comparou.

 

MUTIRÃO NÃO!

 

Em aparte a Rafael Bueno, o vereador Alberto Meneguzzi/PSB declarou uma nova opinião sobre a estratégia da atual administração para reduzir a demanda na rede básica. “Entendo que a área da saúde está um caos, mas não pensei que estivesse tanto. Fico impressionado com o que disseram os diretores do Pompeia e do Virvi, a própria diretora do Dacra, que foi sensível e transparente em trazer os números. Sempre fui um defensor desses mutirões de consultas, já não vou mais ser, porque não adianta fazer consulta e parar em uma fila de exame”, opinou.