Fernando Santos

APARTE

11 de setembro de 2019 às 08:40
Foto: Gabriela Bento Alves, Divulgação

Nova polêmica envolve o Plano Diretor

 

A dois dias de ir a plenário para primeira discussão, o projeto de revisão do Plano Diretor passou pela segunda polêmica em pouco mais de duas semanas. Na sessão de ontem (10), o presidente da CDUTH, vereador Eloi Frizzo/PSB, desmentiu manifestações de integrantes do Diretório Central de Estudantes da Universidade de Caxias do Sul, em redes sociais, de que o novo Plano contemplaria a retirada dos ônibus coletivos que circulam dentro da instituição. “Fui líder estudantil, presidente de Diretório Acadêmico e diretor da União Estadual de Estudantes. Se há uma coisa que nunca fiz na minha vida foi faltar com a verdade. Lamentavelmente, a atual diretoria do DCE está postando nas mídias sociais uma grande mentira. Tenho o maior respeito pelo movimento estudantil, pelas suas lutas e dificuldades, mas eles não podem ir para as mídias sociais dizendo que os vereadores de Caxias do Sul estão querendo tirar os ônibus de dentro da UCS”, afirmou.

 

DECISÃO JUDICIAL

 

Ainda conforme Frizzo, em nota encaminhada pela UCS, nesta segunda-feira (9), ficou esclarecido que, na revisão do Plano Diretor, a retirada dos coletivos do interior da instituição nunca foi discutida. “Ocorre que a UCS ganhou uma disputa judicial do ponto de vista de caracterizarem como próprio seu o espaço interno. É uma decisão de 2º grau no Tribunal de Justiça, e o que buscamos aqui foi uma composição. Mas nunca se falou, como está colocado na nota da instituição, de deixar de circular os ônibus ou de se ocupar os espaços internos”, explicou.

 

REBATEU

 

Outros vereadores, como Rafael Bueno/PDT, também se manifestaram sobre o assunto. O parlamentar lembrou que, em 2014, fez a denúncia sobre a alteração na área interna da UCS. Naquele época, salientou que foi formada uma comissão mista, que foi ao Ministério Público (MP) solicitar a intervenção quanto ao fechamento de portões de acessos de pedestres à UCS. O pedetista reforçou que o projeto foi aberto à discussão popular. “Agora, vem o DCE dizer que a UCS fica tomando cafezinho em nossos gabinetes e discutindo a portas fechadas? Eu não vi o DCE vindo aqui discutir. Ninguém do DCE me procurou", rebateu.

 

LEVE CUTUCADA

 

Não é a primeira vez que o vereador Alberto Meneguzzi critica o posicionamento da classe empresarial de Caxias. Ontem, durante repercussão sobre o convênio assinado entre Executivo e Senai para a cedência do complexo da ex-unidade profissionalizante José Gazola, localizada no Bairro São José, o socialista disparou contra o que chamou de falta de diálogo por parte dos empresários. “Tentamos fazer esse diálogo, mas a decisão já estava tomada em relação ao Senai José Gazola pelo Sistema S, empresários, Simecs. Enfim, por empresários que, volta e meia, criticam a classe política por não dialogar. E fazem isso de forma democrática. Então, de forma democrática, deixo aqui a manifestação da total falta de diálogo por parte da classe empresarial em relação à ocupação e utilização do Senai José Gazola”.

 

RANCHO DO BARDOSO

 

Este é o nome do espaço tradicionalista, que começa a funcionar a partir de amanhã (12) e vai até o dia 19 de setembro, na Câmara de Vereadores de Caxias do Sul. No rancho, haverá apresentações artísticas gratuitas e abertas à comunidade. O nome é uma homenagem a Vilmar Silvério Pinto, que ficou mais conhecido como Bardoso. Ele foi motorista da Câmara e morreu em 22 de março de 2008.