APARTE

21 de agosto de 2019 às 08:40

Felicidade é viajar pelo erário

Em meio à polêmica das viagens do Executivo - segundo os vereadores da oposição, a maior parte delas sem comprovado interesse público - na tarde de ontem surgiu uma situação, no mínimo, curiosa. O Diário Oficial Eletrônico publicou uma dispensa de licitação, de R$ 2.977, da Secretaria Municipal de Recursos Humanos e Logística em favor da empresa Felicity – Consultoria e Eventos. A finalidade é pagar inscrições no IV Congresso Internacional de Felicidade, que será realizado nos dias 2 e 3 de novembro, na Expo Barigui, em Curitiba/PR (foto). A assessoria da pasta foi questionada sobre quem seriam os inscritos e a justificativa de participação no evento, mas até o fechamento desta edição a coluna não havia recebido as respostas aos questionamentos que foram solicitados via e-mail. 

 

EXECUTIVO VIAJA DE BANDO

Depois de passar os dois primeiros anos em casa, só no terceiro ano de governo os representantes do Executivo acharam motivos para fazer viagens nacionais e para fora do País, pagas com dinheiro público. Nem toda a polêmica que ocorreu com viagem do chefe de gabinete e irmão do prefeito, Chico Guerra, à Itália, em abril deste ano, foi suficiente para frear os gastos com diárias e passagens aéreas. Nesta segunda-feira (19), o prefeito Daniel Guerra embarcou para Foz do Iguaçu (PR), para participar do 3º Congresso Brasileiro de Governança, Controle Público e Gestão de Riscos. O valor da viagem ficou em R$ 3.205 de um total de R$ 34.396 mil em diárias e passagens.

 

QUEM FOI PARA O EXTERIOR

Também pegaram avião, na segunda-feira (19), o chefe de Gabinete e irmão, Chico Guerra, e o secretário de Desenvolvimento Econômico, Emilio Andreazza. Eles foram para a cidade-irmã, Little Rock, nos Estados Unidos. 

Conforme informou a assessoria da Prefeitura, a finalidade é “apresentar ao prefeito, Scott Jr., um protocolo de intenções para que as cidades-irmãs possam cooperar em diversas áreas, especialmente sobre experiências de governo digital (e-gov), saúde, educação e cidades inteligentes. A ideia é propor a criação de programa de intercâmbio, além de estimular o incremento do comércio entre as duas regiões”. O custo da viagem é R$ 23,975 em diárias e passagens.

 

E PARA FORA DO ESTADO

Outros dois secretários também estão fora de Caxias, esta semana. Camila Sirena, da Agricultura, viajou para o Rio de Janeiro, onde participa do 31º Congresso Brasileiro de Agronomia. Com ela foi o diretor executivo da pasta, Ramon Sírtoli. Entre os dois, a despesa foi de R$ 7,216 mil. Ontem, quem partiu para Brasília foi o secretário de Cultura, Joelmir da Silva Neto. Ele foi para uma reunião com o secretário Especial da Cultura, Henrique Medeiros Pires, no Ministério da Cidadania, para tratar de temas como o projeto Estação Cidadania – Cultura, do Bairro Cidade Nova. Consultado o Portal da Transparência, até o fechamento desta edição o empenho com o custo da viagem dele não estava no sistema, nem a assessoria informou o valor.

 

INCOERÊNCIA

No mínimo é o que se pode dizer da declaração da secretária da Fazenda, Magda Wormann, ontem, na audiência púbica da Comissão de Desenvolvimento Econômico da Câmara sobre a LDO 2020. “Com prudência, controle e corte de gastos, se necessário, conseguiremos cumprir o orçamento no ano que vem. Quando falta dinheiro em um lugar, temos que tirar de outro para cobrir as despesas. Estamos nos esforçando para não parcelar a folha de pagamento, valorizando o trabalho do servidor e a excelência nos serviços prestados à população”, salientou, segundo conteúdo liberado pela assessoria de imprensa da Prefeitura. A manifestação contrapõe o próprio projeto da LDO. Isso porque, se existe o fantasma do parcelamento salarial, como que o Executivo propõe a nomeação de, no mínimo, mais de 400 novos servidores, no ano que vem? Na verdade, parece que o fantasma que ronda o servidor público é mesmo o inchaço da máquina pública, em pleno período eleitoral.